Moscovo começa retirar tropas destacadas na Crimeia

Moscovo - A Rússia começou hoje, 23, a retirar as tropas que tinham sido enviadas para a Península da Crimeia para exercícios militares, um movimento que provocou a escalada de tensões no leste da Ucrânia.

"As tropas do Distrito Militar Sul e as forças aerotransportadas que participaram nos exercícios começaram a regressar aos quartéis", disse o Ministério da Defesa da Rússia através de um comunicado. 

"Neste momento, as nossas unidades e grupos militares estão nas gares ferroviárias e nos aeródromos e nos navios", indicou ainda o Ministério da Defesa citado pela agência Ria Novosti.

A Península da Crimeia, território ucraniano, foi ocupada e anexada ilegalmente pela Rússia em 2014.

Nas últimas semanas tem-se verificado o aumento da tensão junto à península e na zona de fronteira entre a Rússia e a Ucrânia, depois de Moscovo ter destacado milhares de soldados para, segundo o Kremlin, participarem em manobras militares.

O gesto é encarado como "provocação" por parte de Kiev.

"As tropas do Distrito Militar Sul e as forças aerotransportadas que participaram nos exercícios começaram a regressar aos quartéis", disse o Ministério da Defesa da Rússia através de um comunicado. 

"Neste momento, as nossas unidades e grupos militares estão nas gares ferroviárias e nos aeródromos e nos navios", indicou ainda o Ministério da Defesa citado pela agência Ria Novosti.

A Península da Crimeia, território ucraniano, foi ocupada e anexada ilegalmente pela Rússia em 2014.

Nas últimas semanas tem-se verificado o aumento da tensão junto à península e na zona de fronteira entre a Rússia e a Ucrânia, depois de Moscovo ter destacado milhares de soldados para, segundo o Kremlin, participarem em manobras militares.

O gesto é encarado como "provocação" por parte de Kiev.