Número de infectados na Indonésia ultrapassa um milhão

Jacarta - O número de pessoas na Indonésia infectadas com covid-19 ultrapassou hoje um milhão, anunciou o ministro da Saúde do país, alertando que os hospitais das regiões mais atingidas estão sobrecarregados.

Segundo o ministério, as autoridades registaram 13.094 novas infecções nas últimas 24 horas, elevando o total do país para 1.012.350, o número mais elevado do sudeste asiático.

O número total de mortes atingiu 28.468 pessoas.

O marco aconteceu poucas semanas depois de a Indonésia ter lançado uma campanha massiva para vacinar dois terços dos 270 milhões de habitantes do país, com o Presidente, Joko Widodo, a receber a primeira injecção de uma vacina feita na China.

Profissionais de saúde, militares, polícias, professores e outros grupos de risco foram considerados prioritários para tomar a vacina no quarto país mais populoso do mundo.

De acordo com as autoridades, a Indonésia precisa de administrar quase 427 milhões de doses, tendo em conta a estimativa de que 15 por cento das doses acabam por ser desperdiçadas durante o processo de distribuição na vasta nação de mais de 17.000 ilhas, onde os transportes e as infraestruturas são limitados em algumas zonas.

Jacarta continua a ser a cidade da Indonésia mais atingida pela pandemia, contabilizando mais de 254.000 casos até hoje, incluindo 4.077 mortes.

De um total de 8.066 camas hospitalares na cidade, apenas 8,5 por cento estão disponíveis para novos doentes, sendo que todos os ventiladores estão a ser usados.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.129.368 mortos resultantes de mais de 99,1 milhões de casos de infecção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de Dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

 

Segundo o ministério, as autoridades registaram 13.094 novas infecções nas últimas 24 horas, elevando o total do país para 1.012.350, o número mais elevado do sudeste asiático.

O número total de mortes atingiu 28.468 pessoas.

O marco aconteceu poucas semanas depois de a Indonésia ter lançado uma campanha massiva para vacinar dois terços dos 270 milhões de habitantes do país, com o Presidente, Joko Widodo, a receber a primeira injecção de uma vacina feita na China.

Profissionais de saúde, militares, polícias, professores e outros grupos de risco foram considerados prioritários para tomar a vacina no quarto país mais populoso do mundo.

De acordo com as autoridades, a Indonésia precisa de administrar quase 427 milhões de doses, tendo em conta a estimativa de que 15 por cento das doses acabam por ser desperdiçadas durante o processo de distribuição na vasta nação de mais de 17.000 ilhas, onde os transportes e as infraestruturas são limitados em algumas zonas.

Jacarta continua a ser a cidade da Indonésia mais atingida pela pandemia, contabilizando mais de 254.000 casos até hoje, incluindo 4.077 mortes.

De um total de 8.066 camas hospitalares na cidade, apenas 8,5 por cento estão disponíveis para novos doentes, sendo que todos os ventiladores estão a ser usados.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.129.368 mortos resultantes de mais de 99,1 milhões de casos de infecção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de Dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.