ONU vai manter missão afegã após saída dos EUA e OTAN

  • Sede da ONU em Nova Iorque
Nova Iorque - A ONU manterá a sua missão política de ajuda ao Afeganistão, apesar da saída das tropas dos Estados Unidos e da OTAN neste ano, afirmou Stéphane Dujarric, porta-voz do secretário-geral da organização.

"O facto de que essa saída terá impacto no conjunto do país é evidente", disse Dujarric, sobre o futuro da missão, antes de acrescentar: "Seguiremos revisando a situação, mas o nosso trabalho no Afeganistão continuará. A ONU participa do desenvolvimento humanitário do Afeganistão há muito tempo e permaneceremos ali para ajudar o povo afegão".

A Missão de Assistência das Nações Unidas no Afeganistão (Unama, sigla em inglês) é uma pequena missão política sem forças de manutenção da paz. Desde o mês passado, a ONU conta com dois enviados para o Afeganistão, cujo trabalho é ajudar a encontrar "uma solução política para o conflito", colaborando estreitamente com a Unama e os parceiros regionais, segundo o secretário-geral da ONU, Antonio Guterres.

A Unama conta com cerca de 1,2 mil funcionários no Afeganistão, a maioria afegãos. No total, com os representantes dos diferentes órgãos da ONU estabelecidos naquele país, a presença total das Nações Unidas aproxima-se de 4 mil pessoas, mais de 75% delas afegãs.

"O facto de que essa saída terá impacto no conjunto do país é evidente", disse Dujarric, sobre o futuro da missão, antes de acrescentar: "Seguiremos revisando a situação, mas o nosso trabalho no Afeganistão continuará. A ONU participa do desenvolvimento humanitário do Afeganistão há muito tempo e permaneceremos ali para ajudar o povo afegão".

A Missão de Assistência das Nações Unidas no Afeganistão (Unama, sigla em inglês) é uma pequena missão política sem forças de manutenção da paz. Desde o mês passado, a ONU conta com dois enviados para o Afeganistão, cujo trabalho é ajudar a encontrar "uma solução política para o conflito", colaborando estreitamente com a Unama e os parceiros regionais, segundo o secretário-geral da ONU, Antonio Guterres.

A Unama conta com cerca de 1,2 mil funcionários no Afeganistão, a maioria afegãos. No total, com os representantes dos diferentes órgãos da ONU estabelecidos naquele país, a presença total das Nações Unidas aproxima-se de 4 mil pessoas, mais de 75% delas afegãs.