Pelo menos 20 feridos após explosão em zona residencial na Faixa de Gaza

Gaza - Uma forte explosão destruiu hoje várias casas numa zona residencial no norte da Faixa de Gaza, território palestino controlado pelo Hamas, provocando pelo menos 20 feridos, segundo as autoridades locais.

"Uma explosão ocorreu numa casa em Beit Hanoun esta manhã, causando um certo número de pessoas feridas", avançou o Ministério do Interior do Governo do Hamas.

A explosão terá ocorrido na casa de um membro de um dos grupos armados de Gaza, noticiou a agência de notícias AFP.

De acordo com fontes médicas, mais de 20 pessoas ficaram feridas e duas delas estão em estado grave.

Na zona do incidente, testemunhas relataram que várias casas foram danificadas pela explosão na casa de um "activista", indicando que a polícia estabeleceu um perímetro de segurança e proibiu o acesso ao local.

Segundo a agência AFP, foi aberta uma investigação para determinar a causa da explosão.

O porta-voz do Exército de Israel, Avichay Adraee, disse que a explosão está ligada ao facto de os militantes "guardarem as armas nas casas de habitação".

Numa publicação na rede social Twitter, Avichay Adraee explicou que essas casas foram "transformadas em depósitos de armas... e mísseis para organizações terroristas, e aqueles que pagam o preço são civis inocentes".

O Hamas, um movimento islâmico estabelecido em 1987, controla a Faixa de Gaza desde 2007, onde dois milhões de palestinianos vivem sob bloqueios israelitas, após confrontos com forças leais ao Fatah do presidente palestiniano Mahmoud Abbas.

"Uma explosão ocorreu numa casa em Beit Hanoun esta manhã, causando um certo número de pessoas feridas", avançou o Ministério do Interior do Governo do Hamas.

A explosão terá ocorrido na casa de um membro de um dos grupos armados de Gaza, noticiou a agência de notícias AFP.

De acordo com fontes médicas, mais de 20 pessoas ficaram feridas e duas delas estão em estado grave.

Na zona do incidente, testemunhas relataram que várias casas foram danificadas pela explosão na casa de um "activista", indicando que a polícia estabeleceu um perímetro de segurança e proibiu o acesso ao local.

Segundo a agência AFP, foi aberta uma investigação para determinar a causa da explosão.

O porta-voz do Exército de Israel, Avichay Adraee, disse que a explosão está ligada ao facto de os militantes "guardarem as armas nas casas de habitação".

Numa publicação na rede social Twitter, Avichay Adraee explicou que essas casas foram "transformadas em depósitos de armas... e mísseis para organizações terroristas, e aqueles que pagam o preço são civis inocentes".

O Hamas, um movimento islâmico estabelecido em 1987, controla a Faixa de Gaza desde 2007, onde dois milhões de palestinianos vivem sob bloqueios israelitas, após confrontos com forças leais ao Fatah do presidente palestiniano Mahmoud Abbas.