Polónia alvo de ciberataque "sem precedentes" -- Governo

Varsóvia - O parlamento polaco vai reunir-se na manhã de quarta-feira à porta fechada na sequência de uma vaga de ciberataques contra o país, indicou hoje a vice-presidente do hemiciclo, noticiou a Lusa.

"Vamos escutar as explicações e informações do primeiro-ministro" Mateusz Morawiecki, que solicitou a convocação desta reunião, declarou aos 'media' Malgorzata Kidawa-Blonska.


"Fomos alvo de um ciberataque sem precedente contra a Polónia, contra as instituições polacas e os utilizadores de caixas de correio eletrónicas", declarou hoje o porta-voz do Governo Piotr Muller à estação televisiva privada Polsat News.


No decurso da sessão de quarta-feira, Morawiecki pretende apresentar aos deputados documentos secretos relacionados com "a grande amplitude" dos ciberataques, acrescentou.


Na semana passada, Michal Dworczyk, o ministro responsável do programa nacional de vacinação, foi alvo de um ciberataque contra a sua caixa de correio eletrónica privada.


Uma parte dos emails foi de seguida publicada na rede social Telegram.


A amplitude dos ataques "é grande e não se aplica apenas ao ministro Dworczyk, nem apenas aos membros do Governo, nem apenas ao partido PiS [conservadores-nacionalistas no poder], mas a um amplo grupo de pessoas", acrescentou Muller.

 

"Vamos escutar as explicações e informações do primeiro-ministro" Mateusz Morawiecki, que solicitou a convocação desta reunião, declarou aos 'media' Malgorzata Kidawa-Blonska.


"Fomos alvo de um ciberataque sem precedente contra a Polónia, contra as instituições polacas e os utilizadores de caixas de correio eletrónicas", declarou hoje o porta-voz do Governo Piotr Muller à estação televisiva privada Polsat News.


No decurso da sessão de quarta-feira, Morawiecki pretende apresentar aos deputados documentos secretos relacionados com "a grande amplitude" dos ciberataques, acrescentou.


Na semana passada, Michal Dworczyk, o ministro responsável do programa nacional de vacinação, foi alvo de um ciberataque contra a sua caixa de correio eletrónica privada.


Uma parte dos emails foi de seguida publicada na rede social Telegram.


A amplitude dos ataques "é grande e não se aplica apenas ao ministro Dworczyk, nem apenas aos membros do Governo, nem apenas ao partido PiS [conservadores-nacionalistas no poder], mas a um amplo grupo de pessoas", acrescentou Muller.