Protesto contra restrições em Berlim termina em confrontos com a polícia

Berlim - Milhares de pessoas contrárias às restrições para conter a covid-19 na Alemanha violaram a proibição de manifestações e protestaram nas ruas de Berlim no domingo (01). Os actos terminaram em confrontos com as forças de segurança.


Segundo a polícia, alguns manifestantes "assediaram e atacaram" seus agentes no bairro de Charlottenburg, na zona oeste da capital alemã.  

"Eles tentaram quebrar o cordão policial. Isso levou ao uso de gases irritantes, cassetetes e violência física", disse a polícia de Berlim, observando que várias pessoas foram presas.  

De acordo com um porta-voz da polícia, cerca de 5.000 pessoas participaram da manifestação em Berlim, na qual mais de 600 foram presas.

A manifestação foi convocada pelo movimento "Querdenker" (Pensadores Livres), a principal voz crítica contra as restrições sanitárias na Alemanha.  

A justiça proibiu várias das manifestações organizadas neste fim-de-semana, incluindo a de Berlim, onde a polícia enviou mais de 2.000 agentes. Alguns manifestantes carregavam faixas com mensagens como "Liberdade" ou "Não à ditadura do corona", e poucos deles usavam máscaras.  

O movimento Querdenker reúne membros da extrema-esquerda, conspiradores, anti-vacinas e também militantes da extrema-direita.  


Suas manifestações atraem milhares de pessoas e algumas terminam em violência.

 


Segundo a polícia, alguns manifestantes "assediaram e atacaram" seus agentes no bairro de Charlottenburg, na zona oeste da capital alemã.  

"Eles tentaram quebrar o cordão policial. Isso levou ao uso de gases irritantes, cassetetes e violência física", disse a polícia de Berlim, observando que várias pessoas foram presas.  

De acordo com um porta-voz da polícia, cerca de 5.000 pessoas participaram da manifestação em Berlim, na qual mais de 600 foram presas.

A manifestação foi convocada pelo movimento "Querdenker" (Pensadores Livres), a principal voz crítica contra as restrições sanitárias na Alemanha.  

A justiça proibiu várias das manifestações organizadas neste fim-de-semana, incluindo a de Berlim, onde a polícia enviou mais de 2.000 agentes. Alguns manifestantes carregavam faixas com mensagens como "Liberdade" ou "Não à ditadura do corona", e poucos deles usavam máscaras.  

O movimento Querdenker reúne membros da extrema-esquerda, conspiradores, anti-vacinas e também militantes da extrema-direita.  


Suas manifestações atraem milhares de pessoas e algumas terminam em violência.