Putin atribui Premio Ciência e Tecnologia a criadores da Sputnik V

  • Vladimir Putin, Presidente da Rússia
Moscovo - O presidente da Rússia, Vladimir Putin, entregou hoje o Prémio Estatal de Ciência e Tecnologia 2020 aos criadores da vacina russa Sputnik V por ocasião do Dia da Rússia.

"O poder da ciência russa foi claramente revelado no ano passado, quando as pessoas em todo o mundo esperaram que os cientistas os salvassem da pandemia do coronavírus. E os nossos investigadores conseguiram criar uma vacina segura e eficaz, a Sputnik V, em tempo recorde", disse o Presidente durante a cerimónia de entrega de prémios.

O Dia da Rússia, 12 de Junho, comemora a declaração de independência da Federação Russa após a dissolução da União Soviética.

Putin premiou o director do Centro Gamaleya de Epidemiologia e Microbiologia, Alexandr Guintsburg, o vice-director científico do centro, Denís Logunóf, e o chefe do Centro de Pesquisa em Defesa Radioquímica das Forças Armadas Russas, Sergei Borisevich.

Esta conquista, qualificada pelo presidente como um "triunfo", permitiu à Rússia não só garantir o acesso dos cidadãos russos às vacinas, mas também ajudar outros países.

"E esta é uma responsabilidade do nosso país perante o mundo inteiro como uma das principais potências científicas", disse Putin, lembrando que isso foi possível graças "ao conhecimento único adquirido durante a criação de outras vacinas", como a droga russa contra o ébola.

De acordo com o presidente russo, os avanços dos cientistas russos "abrem caminho para a criação de outras tão esperadas vacinas contra muitas doenças virais perigosas".

"O poder da ciência russa foi claramente revelado no ano passado, quando as pessoas em todo o mundo esperaram que os cientistas os salvassem da pandemia do coronavírus. E os nossos investigadores conseguiram criar uma vacina segura e eficaz, a Sputnik V, em tempo recorde", disse o Presidente durante a cerimónia de entrega de prémios.

O Dia da Rússia, 12 de Junho, comemora a declaração de independência da Federação Russa após a dissolução da União Soviética.

Putin premiou o director do Centro Gamaleya de Epidemiologia e Microbiologia, Alexandr Guintsburg, o vice-director científico do centro, Denís Logunóf, e o chefe do Centro de Pesquisa em Defesa Radioquímica das Forças Armadas Russas, Sergei Borisevich.

Esta conquista, qualificada pelo presidente como um "triunfo", permitiu à Rússia não só garantir o acesso dos cidadãos russos às vacinas, mas também ajudar outros países.

"E esta é uma responsabilidade do nosso país perante o mundo inteiro como uma das principais potências científicas", disse Putin, lembrando que isso foi possível graças "ao conhecimento único adquirido durante a criação de outras vacinas", como a droga russa contra o ébola.

De acordo com o presidente russo, os avanços dos cientistas russos "abrem caminho para a criação de outras tão esperadas vacinas contra muitas doenças virais perigosas".