Militares dos EUA matam três pessoas ao desembarcarem na Síria

Damasco – Três pessoas morreram hoje, domingo, durante um desembarque de soldados norte-americanos na província de Deir ez-Zor, no sudeste da Síria, informou a agência estatal SANA, citando fontes.

Segundo as fontes, as mortes aconteceram quando soldados dos EUA desembarcaram de helicóptero no povoado de Al-Shuhail e abriram fogo contra casas e terrenos agrícolas.

As Forças Armadas dos EUA controlam ilegalmente territórios no norte e nordeste da Síria nas províncias de Deir ez-Zor, Al-Hasakah e Raqqa, onde estão localizados os maiores campos de petróleo e gás da Síria.

Damasco considerou por várias vezes a presença de militares dos EUA em seu território de ocupação militar e pirataria estatal com o objectivo de roubar petróleo abertamente.

Numa reunião com o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, o chanceler sírio Faisal Mekdad voltou a declarar que Moscovo e Damasco exigem que os militares dos EUA deixem a Síria o mais rápido possível.

O conflito civil na Síria decorre desde 2011. Em 2017, Moscovo anunciou a derrota do Daesh (organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países) e o início da retirada de suas unidades do território da Síria.

Em algumas áreas da República Árabe Síria, a limpeza do território dos militantes continua. Actualmente, em primeiro plano estão a regulação por via política, a reconstrução do país e o retorno dos refugiados.

Segundo as fontes, as mortes aconteceram quando soldados dos EUA desembarcaram de helicóptero no povoado de Al-Shuhail e abriram fogo contra casas e terrenos agrícolas.

As Forças Armadas dos EUA controlam ilegalmente territórios no norte e nordeste da Síria nas províncias de Deir ez-Zor, Al-Hasakah e Raqqa, onde estão localizados os maiores campos de petróleo e gás da Síria.

Damasco considerou por várias vezes a presença de militares dos EUA em seu território de ocupação militar e pirataria estatal com o objectivo de roubar petróleo abertamente.

Numa reunião com o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, o chanceler sírio Faisal Mekdad voltou a declarar que Moscovo e Damasco exigem que os militares dos EUA deixem a Síria o mais rápido possível.

O conflito civil na Síria decorre desde 2011. Em 2017, Moscovo anunciou a derrota do Daesh (organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países) e o início da retirada de suas unidades do território da Síria.

Em algumas áreas da República Árabe Síria, a limpeza do território dos militantes continua. Actualmente, em primeiro plano estão a regulação por via política, a reconstrução do país e o retorno dos refugiados.