Republicanos pedem a Biden fim de negociações com Irão

  • Joe Biden, Presidente dos EUA
Washington - Os republicanos pediram ao presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, que interrompa as negociações em curso para ressuscitar o acordo sobre o programa nuclear do Irão, invocando um vínculo entre este país e os foguetes do Hamas disparados contra Israel.

"Tendo em consideração os ataques contra Israel liderados pelo aliado do Irão, Hamas, pedi hoje ao presidente para pôr fim, imediatamente, às negociações com o Irão", postou no Twitter o senador Marco Rubio.

"Por que estamos a contemplar suspender as sanções contra um regime, cujo objectivo declarado é a destruição do Estado hebreu?", questionou.

Rubio dirigiu ao presidente Biden uma carta assinada por quase todos os senadores republicanos, exigindo que Washington "não faça nada para enriquecer os inimigos de Israel".

Já Mike Pompeo, ex-secretário de Estado de Donald Trump, também vinculou as negociações actuais ao aumento da tensão em Israel e nos Territórios Palestinos.

Segundo Pompeo, o chefe do Hamas "disse em voz alta o que todos pensam baixo: o Irão fornece-lhe o dinheiro e as armas que usa para atacar Israel".

"E a equipa de apaziguamento de Biden está em Viena a dar biliões de dólares ao Irão e o caminho para as armas nucleares. Isso é perigoso", protestou o ex-secretário de Estado, no Twitter.

Em 2018, Trump e Pompeo fecharam a porta para o acordo internacional que deveria impedir Teerão de obter a bomba atômica, por considerá-lo insuficiente. Também multiplicaram as sanções contra a República Islâmica.

Biden pretende retornar ao pacto e iniciou negociações indirectas com os iranianos em Viena, em Abril, para determinar quais sanções Washington deve suspender em troca de Teerão voltar a cumprir os seus compromissos.

Enquanto as negociações seguem, o conflito israelo-palestiniano complicou ainda mais a situação, já que o Estado hebreu também se opõe, de forma ferrenha, ao acordo nuclear iraniano.

"Tendo em consideração os ataques contra Israel liderados pelo aliado do Irão, Hamas, pedi hoje ao presidente para pôr fim, imediatamente, às negociações com o Irão", postou no Twitter o senador Marco Rubio.

"Por que estamos a contemplar suspender as sanções contra um regime, cujo objectivo declarado é a destruição do Estado hebreu?", questionou.

Rubio dirigiu ao presidente Biden uma carta assinada por quase todos os senadores republicanos, exigindo que Washington "não faça nada para enriquecer os inimigos de Israel".

Já Mike Pompeo, ex-secretário de Estado de Donald Trump, também vinculou as negociações actuais ao aumento da tensão em Israel e nos Territórios Palestinos.

Segundo Pompeo, o chefe do Hamas "disse em voz alta o que todos pensam baixo: o Irão fornece-lhe o dinheiro e as armas que usa para atacar Israel".

"E a equipa de apaziguamento de Biden está em Viena a dar biliões de dólares ao Irão e o caminho para as armas nucleares. Isso é perigoso", protestou o ex-secretário de Estado, no Twitter.

Em 2018, Trump e Pompeo fecharam a porta para o acordo internacional que deveria impedir Teerão de obter a bomba atômica, por considerá-lo insuficiente. Também multiplicaram as sanções contra a República Islâmica.

Biden pretende retornar ao pacto e iniciou negociações indirectas com os iranianos em Viena, em Abril, para determinar quais sanções Washington deve suspender em troca de Teerão voltar a cumprir os seus compromissos.

Enquanto as negociações seguem, o conflito israelo-palestiniano complicou ainda mais a situação, já que o Estado hebreu também se opõe, de forma ferrenha, ao acordo nuclear iraniano.