Rússia abandona Tratado Céus Abertos da OSCE

Moscovo - A Rússia anunciou hoje que se vai retirar do Tratado Céus Abertos da Organização de Segurança e Cooperação Europeia (OSCE), um pacto multilateral para a transparência e controlo de armas abandonado anteriormente pelos Estados Unidos, noticiou a Lusa.

“Devido à ausência de progressos no momento de se eliminarem obstáculos para preservar o tratado, em novas condições, o Ministério dos Negócios Estrangeiros da Rússia anuncia o início dos procedimentos internos para a retirada da Federação Russa do Tratado Céus Abertos”, indica um comunicado da diplomacia russa emitido hoje.


O tratado internacional Céus Abertos (Open Skies Treaty) permite voos de observações sobre instalações militares entre os países signatários.
Os Estados Unidos abandonaram o tratado no passado dia 22 de Novembro sendo que a posição russa anunciada hoje já era previsível.


O tratado pretendia estabelecer bases de confiança entre a Rússia e o Ocidente permitindo os voos de reconhecimentos entre mais de trinta países na recolha de informações militares.


Em Maio de 2020, o Presidente norte-americano cessante, Donald Trump, anunciou a intenção de Washington em retirar os Estados Unidos do tratado argumentando violações por parte da Rússia, o que veio a concretizar em Novembro.


Moscovo negou reiteradamente as violações ao tratado alcançado em 2002 tendo a União Europeia, urgindo os Estados Unidos a reconsiderarem posições sobre a saída do pacto.


Na altura Moscovo afirmou que a retirada de Washington afectava a segurança global tornando mais difícil aos governos a interpretação das intenções de outros Estados e afectando em particular as tensões entre a Rússia e o Ocidente.
 

 

“Devido à ausência de progressos no momento de se eliminarem obstáculos para preservar o tratado, em novas condições, o Ministério dos Negócios Estrangeiros da Rússia anuncia o início dos procedimentos internos para a retirada da Federação Russa do Tratado Céus Abertos”, indica um comunicado da diplomacia russa emitido hoje.


O tratado internacional Céus Abertos (Open Skies Treaty) permite voos de observações sobre instalações militares entre os países signatários.
Os Estados Unidos abandonaram o tratado no passado dia 22 de Novembro sendo que a posição russa anunciada hoje já era previsível.


O tratado pretendia estabelecer bases de confiança entre a Rússia e o Ocidente permitindo os voos de reconhecimentos entre mais de trinta países na recolha de informações militares.


Em Maio de 2020, o Presidente norte-americano cessante, Donald Trump, anunciou a intenção de Washington em retirar os Estados Unidos do tratado argumentando violações por parte da Rússia, o que veio a concretizar em Novembro.


Moscovo negou reiteradamente as violações ao tratado alcançado em 2002 tendo a União Europeia, urgindo os Estados Unidos a reconsiderarem posições sobre a saída do pacto.


Na altura Moscovo afirmou que a retirada de Washington afectava a segurança global tornando mais difícil aos governos a interpretação das intenções de outros Estados e afectando em particular as tensões entre a Rússia e o Ocidente.