Rússia aguarda propostas do novo Governo dos EUA sobre desarmamento

Moscovo - A Rússia aguarda "propostas concretas" do novo Governo dos Estados Unidos, que Joe Biden vai assumir na quarta-feira, para estender o tratado de desarmamento nuclear New START, que expira em cinco de Fevereiro.

"Aguardamos propostas concretas. A nossa posição (a favor da prorrogação) é bem conhecida", disse o chefe da diplomacia russa, Sergei Lavrov, na sua tradicional conferência de imprensa.

Lavrov sublinhou que a situação actual do controlo de armas é "totalmente anormal", uma vez que apenas o New START permanece em vigor, referindo ainda que a Rússia está ciente das intenções de Joe Biden de retomar o diálogo e tentar chegar a um acordo sobre a extensão do tratado.

O tratado New START limita o número de armas nucleares estratégicas, com um máximo de 1.550 ogivas e 700 sistemas balísticos para cada uma das duas potências, em terra, no mar ou no ar.

Em Outubro passado, o Presidente russo, Vladimir Putin, propôs estender o tratado por um ano sem condições, mas sem mencionar a possibilidade de congelamento mútuo do arsenal nuclear exigido pelos Estados Unidos, embora posteriormente o Ministério dos Negócios Estrangeiros russo tenha esclarecido que Moscovo está preparado para dar esse passo por 12 meses se o pacto de redução de armas nucleares for estendido pelo mesmo período.

Lavrov acrescentou que a Rússia não espera "mudanças radicais" nas relações bilaterais russo-americanas com a chegada de Biden à Casa Branca.

"Tenho a sensação de que a maneira (dos EUA) nas relações com a Rússia podem ser mais amáveis, mas dificilmente mudará a essência da sua política", disse o ministro russo.

Ao mesmo tempo, Lavrov destacou que quando os norte-americanos entenderem que não podem fazer nada sem a Rússia e a China, (os EUA) "serão forçados a chegar a acordos".

 

"Aguardamos propostas concretas. A nossa posição (a favor da prorrogação) é bem conhecida", disse o chefe da diplomacia russa, Sergei Lavrov, na sua tradicional conferência de imprensa.

Lavrov sublinhou que a situação actual do controlo de armas é "totalmente anormal", uma vez que apenas o New START permanece em vigor, referindo ainda que a Rússia está ciente das intenções de Joe Biden de retomar o diálogo e tentar chegar a um acordo sobre a extensão do tratado.

O tratado New START limita o número de armas nucleares estratégicas, com um máximo de 1.550 ogivas e 700 sistemas balísticos para cada uma das duas potências, em terra, no mar ou no ar.

Em Outubro passado, o Presidente russo, Vladimir Putin, propôs estender o tratado por um ano sem condições, mas sem mencionar a possibilidade de congelamento mútuo do arsenal nuclear exigido pelos Estados Unidos, embora posteriormente o Ministério dos Negócios Estrangeiros russo tenha esclarecido que Moscovo está preparado para dar esse passo por 12 meses se o pacto de redução de armas nucleares for estendido pelo mesmo período.

Lavrov acrescentou que a Rússia não espera "mudanças radicais" nas relações bilaterais russo-americanas com a chegada de Biden à Casa Branca.

"Tenho a sensação de que a maneira (dos EUA) nas relações com a Rússia podem ser mais amáveis, mas dificilmente mudará a essência da sua política", disse o ministro russo.

Ao mesmo tempo, Lavrov destacou que quando os norte-americanos entenderem que não podem fazer nada sem a Rússia e a China, (os EUA) "serão forçados a chegar a acordos".