Rússia decide abandonar Estação Espacial a partir de 2025

Moscovo - A Rússia vai sair do projecto da Estação Espacial Internacional (EEI, na sigla em inglês) daqui a quatro anos - a partir de 2025 - e iniciará a criação da sua própria estação orbital.

  •  

Em entrevista ao canal de televisão Rossiya 1, o vice-ministro russo Yuri Borisov declarou que é preciso "honestamente avisar [os parceiros internacionais] sobre a saída da EEI a partir de 2025".

"A Rússia planeia criar a sua própria estação espacial. A EEI envelheceu bastante e o governo propõe conversar com os parceiros internacionais de antemão", de acordo com o canal.

Os planos de voos tripulados de cosmonautas russos à Lua, bem como missões a Marte, foram discutidos na reunião com o presidente da Rússia, Vladimir Putin, em 12 de Abril, no Dia da Cosmonáutica. "Estão a ser planeados voos tripulados à Lua e missões a Marte", anunciou o canal.

Anteriormente, o porta-voz presidencial russo, Dmitry Peskov, informou que, durante a reunião com o presidente, foi discutido o futuro da Estação Espacial Internacional e a nova estação russa que a substituirá.

Por sua vez, o serviço de imprensa da agência espacial Roscosmos disse à Sputnik que os módulos da EEI já estão esgotados e que a estação vai funcionar até 2024. Portanto, as perspectivas de cooperação internacional devem ser definidas durante conversações.

"Temos o prazo de trabalho na estação acordado com parceiros da EEI: 2024. Após esta data, será tomada uma decisão com base do estado técnico de módulos da estação que, em geral, já ultrapassaram o seu prazo de serviço, bem como com base em nossos planos de desenvolvimento de uma estação orbital nacional de nova geração. Quando tomarmos essa decisão, então começaremos as negociações com os nossos aliados sobre as condições e formas de interação após 2024", confirmaram na Roscosmos.

Desde o início, planeava-se utilizar a EEI até 2015, mas depois o prazo de serviço foi prorrogado duas vezes: até 2020 e até 2024.

Em 2021, a Rússia vai enviar a primeira missão à Lua desde o fim da URSS – o aparelho de pouso Luna-25. A sonda anterior, a Luna-24, foi enviada pela União Soviética em 1976. Além disso, em 2022 a Rússia, junto com a agência espacial europeia, planeia realizar a segunda missão conjunta a Marte.

  •  

Em entrevista ao canal de televisão Rossiya 1, o vice-ministro russo Yuri Borisov declarou que é preciso "honestamente avisar [os parceiros internacionais] sobre a saída da EEI a partir de 2025".

"A Rússia planeia criar a sua própria estação espacial. A EEI envelheceu bastante e o governo propõe conversar com os parceiros internacionais de antemão", de acordo com o canal.

Os planos de voos tripulados de cosmonautas russos à Lua, bem como missões a Marte, foram discutidos na reunião com o presidente da Rússia, Vladimir Putin, em 12 de Abril, no Dia da Cosmonáutica. "Estão a ser planeados voos tripulados à Lua e missões a Marte", anunciou o canal.

Anteriormente, o porta-voz presidencial russo, Dmitry Peskov, informou que, durante a reunião com o presidente, foi discutido o futuro da Estação Espacial Internacional e a nova estação russa que a substituirá.

Por sua vez, o serviço de imprensa da agência espacial Roscosmos disse à Sputnik que os módulos da EEI já estão esgotados e que a estação vai funcionar até 2024. Portanto, as perspectivas de cooperação internacional devem ser definidas durante conversações.

"Temos o prazo de trabalho na estação acordado com parceiros da EEI: 2024. Após esta data, será tomada uma decisão com base do estado técnico de módulos da estação que, em geral, já ultrapassaram o seu prazo de serviço, bem como com base em nossos planos de desenvolvimento de uma estação orbital nacional de nova geração. Quando tomarmos essa decisão, então começaremos as negociações com os nossos aliados sobre as condições e formas de interação após 2024", confirmaram na Roscosmos.

Desde o início, planeava-se utilizar a EEI até 2015, mas depois o prazo de serviço foi prorrogado duas vezes: até 2020 e até 2024.

Em 2021, a Rússia vai enviar a primeira missão à Lua desde o fim da URSS – o aparelho de pouso Luna-25. A sonda anterior, a Luna-24, foi enviada pela União Soviética em 1976. Além disso, em 2022 a Rússia, junto com a agência espacial europeia, planeia realizar a segunda missão conjunta a Marte.