Rússia expulsa navio de guerra dos EUA de águas territoriais no Pacífico

Moscovo - A Rússia expulsou hoje o contratorpedeiro norte-americano 'John McCain' que se encontrava em águas territoriais russas no Pacífico, de acordo com uma nota do Ministério da Defesa de Moscovo.

"Hoje às 6h17, hora de Moscovo, o contratorpedeiro da Marinha dos Estados Unidos 'John McCain', que se encontrava há alguns dias nas águas do Japão, violou a fronteira da Rússia na zona do Golfo de Pedro o Grande", refere o Ministério da Defesa através de um comunicado.

De acordo com os militares de Moscovo, o navio norte-americano entrou "dois quilómetros" nas águas russas.

Para avisar o navio 'John McCain' da necessidade de abandonar as águas territoriais da Rússia foi enviado o navio antissubmarino "Almirante Vinogradov".

Segundo a mesma nota, o 'Almirante Vinogradov' avisou o contratorpedeiro norte-americano da "possibilidade de ser investido" caso não abandonasse as águas territoriais russas.

O navio de guerra dos Estados Unidos acabou por abandonar as águas territoriais da Rússia e rumar à "zona neutra" sem tentar voltar ao ponto onde se encontrava.

"Hoje às 6h17, hora de Moscovo, o contratorpedeiro da Marinha dos Estados Unidos 'John McCain', que se encontrava há alguns dias nas águas do Japão, violou a fronteira da Rússia na zona do Golfo de Pedro o Grande", refere o Ministério da Defesa através de um comunicado.

De acordo com os militares de Moscovo, o navio norte-americano entrou "dois quilómetros" nas águas russas.

Para avisar o navio 'John McCain' da necessidade de abandonar as águas territoriais da Rússia foi enviado o navio antissubmarino "Almirante Vinogradov".

Segundo a mesma nota, o 'Almirante Vinogradov' avisou o contratorpedeiro norte-americano da "possibilidade de ser investido" caso não abandonasse as águas territoriais russas.

O navio de guerra dos Estados Unidos acabou por abandonar as águas territoriais da Rússia e rumar à "zona neutra" sem tentar voltar ao ponto onde se encontrava.