Snowden comemora rejeição da extradição de Assange

Moscovo - Edward Snowden comemorou nesta segunda-feira a recusa britânica em extraditar o fundador do WikiLeaks, Julian Assange.

O denunciante dos EUA, que actualmente vive na Rússia, usou o Twitter para se manifestar sobre o assunto.

O ex-agente da inteligência norte-americana agradeceu a todos que fizeram campanha contra a extradição do australiano.

"​Obrigado a todos que fizeram campanha contra uma das ameaças mais perigosas à liberdade de imprensa em décadas".

Logo depois, em outro tweet, Snowden disse que espera que este seja "o fim" das acusações de espionagem contra Assange.

"Que isso seja o fim disto".

Nesta segunda-feira (4), o Tribunal de Londres decidiu que Assange não deveria ser extraditado para os Estados Unidos, país onde é procurado por publicar milhares de documentos sigilosos on-line. A decisão levou em conta preocupações com a saúde do australiano. Os advogados do lado norte-americano devem recorrer da decisão.

O próprio Snowden é procurado pelos Estados Unidos por acusações de espionagem, depois de vazar informações que mostram que a Agência de Segurança Nacional norte-americana fez registos telefónicos de milhões de cidadãos.

Ele vive exilado na Rússia desde 2013, e no ano passado anunciou que pretende tornar-se um cidadão russo, obtendo uma segunda nacionalidade, além da norte-americana.

Em Dezembro, no dia de Natal (25), Snowden e sua esposa, Lindsay Mills, deram as boas-vindas ao primeiro filho do casal – um menino.

"O maior presente é o amor que compartilhamos".

O advogado de Snowden, Anatoly Kucherena, confirmou à Sputnik que o bebé nasceu na Rússia.

"O bebé e a mãe estão bem. Podemos ficar felizes por Edward e sua esposa, eles estão felizes", disse Kucherena, sem revelar o nome do menino.

O denunciante dos EUA, que actualmente vive na Rússia, usou o Twitter para se manifestar sobre o assunto.

O ex-agente da inteligência norte-americana agradeceu a todos que fizeram campanha contra a extradição do australiano.

"​Obrigado a todos que fizeram campanha contra uma das ameaças mais perigosas à liberdade de imprensa em décadas".

Logo depois, em outro tweet, Snowden disse que espera que este seja "o fim" das acusações de espionagem contra Assange.

"Que isso seja o fim disto".

Nesta segunda-feira (4), o Tribunal de Londres decidiu que Assange não deveria ser extraditado para os Estados Unidos, país onde é procurado por publicar milhares de documentos sigilosos on-line. A decisão levou em conta preocupações com a saúde do australiano. Os advogados do lado norte-americano devem recorrer da decisão.

O próprio Snowden é procurado pelos Estados Unidos por acusações de espionagem, depois de vazar informações que mostram que a Agência de Segurança Nacional norte-americana fez registos telefónicos de milhões de cidadãos.

Ele vive exilado na Rússia desde 2013, e no ano passado anunciou que pretende tornar-se um cidadão russo, obtendo uma segunda nacionalidade, além da norte-americana.

Em Dezembro, no dia de Natal (25), Snowden e sua esposa, Lindsay Mills, deram as boas-vindas ao primeiro filho do casal – um menino.

"O maior presente é o amor que compartilhamos".

O advogado de Snowden, Anatoly Kucherena, confirmou à Sputnik que o bebé nasceu na Rússia.

"O bebé e a mãe estão bem. Podemos ficar felizes por Edward e sua esposa, eles estão felizes", disse Kucherena, sem revelar o nome do menino.