Timor-Leste: Cheias provocam pelo menos 36 mortos e 10 desaparecidos

  • Bandeira de Timor Leste
Díli - As autoridades timorenses já identificaram 36 mortos e 10 desaparecidos nas cheias que assolaram há uma semana Timor-Leste, informou no sábado a Protecção Civil, revendo o balanço anterior de 26 mortos e 11 desaparecidos.

De acordo com os dados a que a agência Lusa teve acesso, há 20 mortos e dois desaparecidos na capital Díli, enquanto os restantes municípios totalizam 16 óbitos. Oito corpos (quatro em Ainaro e outros tantos em Manatuto) ainda estão por resgatar.

"No caso de Díli, o maior número de vítimas regista-se no posto administrativo de Don Aleixo, com sete mortos em Manleuana-Beduku, cinco em Moris Foun, quatro na aldeia 30 Agosto, um em Malinamuk, um em Fatuhada e um em Vila-Verde. Há ainda mortos a registar nos arredores da capital em Hera", lê-se em comunicado da Protecção Civil.

A Componente Naval das Forças de Defesa de Timor-Leste (F-FDTL) e a Unidade de Polícia Marítima da Polícia Nacional de Timor-Leste (PNTL) têm ajudado nas buscas dos desaparecidos, que podem vir a reclassificar esta contagem nas próximas horas.

De acordo com os dados a que a agência Lusa teve acesso, há 20 mortos e dois desaparecidos na capital Díli, enquanto os restantes municípios totalizam 16 óbitos. Oito corpos (quatro em Ainaro e outros tantos em Manatuto) ainda estão por resgatar.

"No caso de Díli, o maior número de vítimas regista-se no posto administrativo de Don Aleixo, com sete mortos em Manleuana-Beduku, cinco em Moris Foun, quatro na aldeia 30 Agosto, um em Malinamuk, um em Fatuhada e um em Vila-Verde. Há ainda mortos a registar nos arredores da capital em Hera", lê-se em comunicado da Protecção Civil.

A Componente Naval das Forças de Defesa de Timor-Leste (F-FDTL) e a Unidade de Polícia Marítima da Polícia Nacional de Timor-Leste (PNTL) têm ajudado nas buscas dos desaparecidos, que podem vir a reclassificar esta contagem nas próximas horas.