Tóquio2020: Macron diz que França está preparada para Paris2024

  • Bandeira da França
Paris - O Presidente francês disse hoje que a França está preparada e a trabalhar para receber os Jogos Olímpicos de Paris-2024, falando após uma reunião com o presidente do COI, em Tóquio, onde foi recebido pelo imperador do Japão.

“Nós estamos a preparar-nos para Paris-2024 (…) estamos a trabalhar arduamente”, disse Emmanuel Macron após a chegada à capital japonesa, onde se encontrou com o Comité Olímpico Internacional (COI).


“Saímos de uma boa reunião com o presidente do COI, Thomas Bach, e vamos continuar a avançar para prepararmos o nosso país para o encontro de 2024, com os nossos atletas mas também com as nossas crianças e com toda a sociedade para conseguirmos reunir os valores de exigência e de desempenho”, disse Macron.


O chefe de Estado francês disse que a situação sanitária é ainda uma preocupação mas que a circunstância não deve afectar o espírito desportivo.


“Aprender a viver com o vírus (covid-19) é manter o espírito olímpico nesta fase, quando é necessário manter os valores da cooperação”, disse Macron acrescentando que os Jogos Olímpicos são “um encontro importante” para a vida dos atletas.


Emmanuel Macron esteve no Clube Francês, em Tóquio, onde saudou a delegação francesa antes de se reunir no Palácio Imperial com o imperador Naruhito do Japão, acompanhado de personalidades internacionais, entre as quais a primeira dama dos Estados Unidos, Jill Biden.   


“Para ultrapassarmos a situação provocada pelo covid-19 é importante estarmos unidos sem fronteiras”, disse o imperador no encontro que decorreu sob o cumprimento das medidas de proteção sanitária.


O imperador Naruhito recebeu representantes de onze países, entre membros de famílias reais, chefes de Estado e representantes governamentais como Jill Biden que lidera a delegação dos Estados Unidos na cerimónia de inauguração do novo Estádio Olímpico de Tóquio.


A cerimónia de abertura no novo Estádio Olímpico de Tóquio começou às 20:00 (11:00 em Lisboa) na presença de cerca de apenas mil convidados, tendo o equipamento desportivo capacidade para receber 68 mil pessoas.


A maior parte da competição dos Jogos Olímpicos vão decorrer de forma restrita devido ao aumento dos casos de infecção de covid-19 no Japão.


Cerca de 15 líderes mundiais e representantes de organizações internacionais participam na cerimónia, um número que contrasta com os 40 dirigentes que estiveram presentes em 2016 nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, Brasil.


O primeiro-ministro da Mongólia, Luvsannamsrai Oyun-Erdene; a vice-presidenyte sudanesa, Rebecca Nyandeng De Mabior; o Alto Comissário das Nações Unidas para os Refugiados, Filippo Grandi e o director da Organização Mundial da Saúde Tedros Adhanom Ghebreyesus já foram recebidos hoje pelo chefe do Executivo japonês.


No caso de França, a delegação presidencial de Macron foi reduzida ao mínimo, com a presença de apenas um ministro: Jean-Michel Blanquer, responsável pela pasta da Educação Nacional, Juventude e Desporto.


No sábado, Macron deve reunir-se com o primeiro-ministro japonês Yoshihide Suga, dois anos após da primeira visita oficial a Tóquio.
 

 

“Nós estamos a preparar-nos para Paris-2024 (…) estamos a trabalhar arduamente”, disse Emmanuel Macron após a chegada à capital japonesa, onde se encontrou com o Comité Olímpico Internacional (COI).


“Saímos de uma boa reunião com o presidente do COI, Thomas Bach, e vamos continuar a avançar para prepararmos o nosso país para o encontro de 2024, com os nossos atletas mas também com as nossas crianças e com toda a sociedade para conseguirmos reunir os valores de exigência e de desempenho”, disse Macron.


O chefe de Estado francês disse que a situação sanitária é ainda uma preocupação mas que a circunstância não deve afectar o espírito desportivo.


“Aprender a viver com o vírus (covid-19) é manter o espírito olímpico nesta fase, quando é necessário manter os valores da cooperação”, disse Macron acrescentando que os Jogos Olímpicos são “um encontro importante” para a vida dos atletas.


Emmanuel Macron esteve no Clube Francês, em Tóquio, onde saudou a delegação francesa antes de se reunir no Palácio Imperial com o imperador Naruhito do Japão, acompanhado de personalidades internacionais, entre as quais a primeira dama dos Estados Unidos, Jill Biden.   


“Para ultrapassarmos a situação provocada pelo covid-19 é importante estarmos unidos sem fronteiras”, disse o imperador no encontro que decorreu sob o cumprimento das medidas de proteção sanitária.


O imperador Naruhito recebeu representantes de onze países, entre membros de famílias reais, chefes de Estado e representantes governamentais como Jill Biden que lidera a delegação dos Estados Unidos na cerimónia de inauguração do novo Estádio Olímpico de Tóquio.


A cerimónia de abertura no novo Estádio Olímpico de Tóquio começou às 20:00 (11:00 em Lisboa) na presença de cerca de apenas mil convidados, tendo o equipamento desportivo capacidade para receber 68 mil pessoas.


A maior parte da competição dos Jogos Olímpicos vão decorrer de forma restrita devido ao aumento dos casos de infecção de covid-19 no Japão.


Cerca de 15 líderes mundiais e representantes de organizações internacionais participam na cerimónia, um número que contrasta com os 40 dirigentes que estiveram presentes em 2016 nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, Brasil.


O primeiro-ministro da Mongólia, Luvsannamsrai Oyun-Erdene; a vice-presidenyte sudanesa, Rebecca Nyandeng De Mabior; o Alto Comissário das Nações Unidas para os Refugiados, Filippo Grandi e o director da Organização Mundial da Saúde Tedros Adhanom Ghebreyesus já foram recebidos hoje pelo chefe do Executivo japonês.


No caso de França, a delegação presidencial de Macron foi reduzida ao mínimo, com a presença de apenas um ministro: Jean-Michel Blanquer, responsável pela pasta da Educação Nacional, Juventude e Desporto.


No sábado, Macron deve reunir-se com o primeiro-ministro japonês Yoshihide Suga, dois anos após da primeira visita oficial a Tóquio.