Trump deixa aviso ao Irão após ataque a embaixada dos EUA no Iraque

  • Ex-presidente dos EUA, DonaldTrump (Foto arquivo)
Washington - O presidente cessante dos Estados Unidos, Donald Trump, disse na quarta-feira que responsabilizará o Irão em caso de um ataque contra norte-americanos no Iraque, após a embaixada dos EUA naquele país ter sido bombardeada.

"A nossa embaixada em Bagdad foi atingida no domingo por vários 'rockets'", alertou Donald Trump através de uma mensagem na rede social Twitter, sobre um ataque que apenas causou danos materiais.

"Adivinhem de onde vieram: Irão", acrescentou, divulgando que há ainda especulações sobre "novos ataques contra norte-americanos no Iraque".

Trump deixou ainda um "conselho amigável ao Irão" nas suas mensagens via Twitter: "Se um norte-americano for morto, considerarei o Irão responsável. Pensem bem".

Segundo noticia a agência EFE, ochefe da diplomacia dos EUA, Mika Pompeo também já tinha apontado o dedo a Teerão e o chefe das forças armadas norte-americanas no médio oriente, Frank McKenzie, alertou que os Estados Unidos estão "prontos para reagir" em caso de um ataque iraniano para marcar o aniversário da morte de Qassem Soleimani.

Em resposta às declarações dos EUA, o Irão pediu às autoridades norte-americanas na segunda-feira para não criarem "tensão".

O general iraniano Qassem Soleimani morreu há praticamente um ano, em 03 de janeiro de 2020, em Bagdade, após um ataque de 'drones'autorizado por Donald Trump.

A região 'susteve a respiração' naquela altura, com receio de uma escalada descontrolada que acabou por não se verificar.

O regresso da tensão acontece com o aproximar do primeiro aniversário daquele ataque e numa fase em que o presidente cessante dos EUA adotou uma politica de "pressão máxima" contra Teerão, nas últimas semanas do seu mandato.

Washington reduziu recentemente o seu quadro diplomático na capital iraquiana, e as especulações sobre o encerramento permanente da sua embaixada, que são recorrentes, foram retomadas nos últimos dias.

"A nossa embaixada em Bagdad foi atingida no domingo por vários 'rockets'", alertou Donald Trump através de uma mensagem na rede social Twitter, sobre um ataque que apenas causou danos materiais.

"Adivinhem de onde vieram: Irão", acrescentou, divulgando que há ainda especulações sobre "novos ataques contra norte-americanos no Iraque".

Trump deixou ainda um "conselho amigável ao Irão" nas suas mensagens via Twitter: "Se um norte-americano for morto, considerarei o Irão responsável. Pensem bem".

Segundo noticia a agência EFE, ochefe da diplomacia dos EUA, Mika Pompeo também já tinha apontado o dedo a Teerão e o chefe das forças armadas norte-americanas no médio oriente, Frank McKenzie, alertou que os Estados Unidos estão "prontos para reagir" em caso de um ataque iraniano para marcar o aniversário da morte de Qassem Soleimani.

Em resposta às declarações dos EUA, o Irão pediu às autoridades norte-americanas na segunda-feira para não criarem "tensão".

O general iraniano Qassem Soleimani morreu há praticamente um ano, em 03 de janeiro de 2020, em Bagdade, após um ataque de 'drones'autorizado por Donald Trump.

A região 'susteve a respiração' naquela altura, com receio de uma escalada descontrolada que acabou por não se verificar.

O regresso da tensão acontece com o aproximar do primeiro aniversário daquele ataque e numa fase em que o presidente cessante dos EUA adotou uma politica de "pressão máxima" contra Teerão, nas últimas semanas do seu mandato.

Washington reduziu recentemente o seu quadro diplomático na capital iraquiana, e as especulações sobre o encerramento permanente da sua embaixada, que são recorrentes, foram retomadas nos últimos dias.