Trump deixa carta ao Presidente eleito e cumpre tradição

  • Presidente Cessante dos EUA, Donald Trump
Washington - A Casa Branca indicou hoje que o Presidente cessante Donald Trump deixou uma carta para o seu sucessor, Joe Biden, cujo teor não foi revelado, cumprindo uma tradição norte-americana na transição de poderes.

O porta-voz da Casa Branca, Judd Deere, declinou revelar o conteúdo da missiva ou mesmo a caracterizar o sentimento contido na mensagem que o republicano Trump deixou ao democrata Biden, alegando a necessária privacidade na comunicação entre Presidentes.

A carta foi deixada na Sala Oval e é uma tradição na transição de Presidentes, tendo Trump recebido a do seu antecessor, Barack Obama, há quatro anos.

"Somos apenas ocupantes temporários deste cargo. Isso faz de nós guardiões das instituições e das tradições democráticas, como a do Estado de Direito, a separação de poderes e a protecção dos direitos cívicos pelos quais os nossos antecessores se bateram", escreveu então Obama.

Trump recusou sempre conceder a vitória das presidenciais norte-americanas de três de Novembro de 2020 a Biden, que é hoje empossado, e nem sequer mencionou o nome do Presidente eleito nos dois discursos de despedida da Casa Branca.

Trump rompeu com muitas tradições da Presidência, inclusive por não comparecer à posse de Biden e também não o convidou Biden para uma reunião na Casa Branca depois do adversário ter sido declarado o vencedor das presidenciais.

Trump deixou hoje de manhã a Casa Branca pela última vez como Presidente dos Estados Unidos.

"Foi uma grande honra, a honra de uma vida", afirmou.

 

O porta-voz da Casa Branca, Judd Deere, declinou revelar o conteúdo da missiva ou mesmo a caracterizar o sentimento contido na mensagem que o republicano Trump deixou ao democrata Biden, alegando a necessária privacidade na comunicação entre Presidentes.

A carta foi deixada na Sala Oval e é uma tradição na transição de Presidentes, tendo Trump recebido a do seu antecessor, Barack Obama, há quatro anos.

"Somos apenas ocupantes temporários deste cargo. Isso faz de nós guardiões das instituições e das tradições democráticas, como a do Estado de Direito, a separação de poderes e a protecção dos direitos cívicos pelos quais os nossos antecessores se bateram", escreveu então Obama.

Trump recusou sempre conceder a vitória das presidenciais norte-americanas de três de Novembro de 2020 a Biden, que é hoje empossado, e nem sequer mencionou o nome do Presidente eleito nos dois discursos de despedida da Casa Branca.

Trump rompeu com muitas tradições da Presidência, inclusive por não comparecer à posse de Biden e também não o convidou Biden para uma reunião na Casa Branca depois do adversário ter sido declarado o vencedor das presidenciais.

Trump deixou hoje de manhã a Casa Branca pela última vez como Presidente dos Estados Unidos.

"Foi uma grande honra, a honra de uma vida", afirmou.