UE atingiu em Novembro recorde de excesso de mortalidade mensal - 40.5%

  • Mapa da Europa
Bruxelas - A União Europeia (UE) atingiu em Novembro um novo recorde de excesso de mortalidade mensal devido à pandemia da covid-19, com 40,5% de mortes adicionais face à média mensal entre 2016 e 2019, segundo o Eurostat.

Estes dados constam da edição de Fevereiro do painel de estatística com indicadores mensais e trimestrais de várias áreas estatísticas relevantes para acompanhar a recuperação económica e social da pandemia da covid-19 na UE.

Em Novembro, o excesso de mortalidade mensal chegou aos 40,5% na média da UE, batendo o anterior recorde de 25,1% registado em Abril de 2020.

Segundo o gabinete estatístico europeu, o indicador de mortalidade excessiva é calculado como a diferença relativa (expressa em percentagem) do número de mortes mensais em relação à sua média para o mesmo mês durante o período 2016-2019.

Outra das consequências da pandemia em 2020 foi o recuo económico da UE, tendo o Produto Interno Bruto (PIB) da médias dos 27 Estados-membros sofrido uma quebra histórica de 11,4% no segundo trimestre de 2020, face aos primeiros três meses do ano, e uma recuperação de 11,5%, tendo a economia da UE voltado a contrair-se 0,4% entre Outubro e Dezembro de 2020.

A taxa de emprego, outros dos indicadores que o painel sobre as consequências da covid-19 contempla, recuperou no terceiro trimestre de 2020 na UE (72,4%).

Estes dados constam da edição de Fevereiro do painel de estatística com indicadores mensais e trimestrais de várias áreas estatísticas relevantes para acompanhar a recuperação económica e social da pandemia da covid-19 na UE.

Em Novembro, o excesso de mortalidade mensal chegou aos 40,5% na média da UE, batendo o anterior recorde de 25,1% registado em Abril de 2020.

Segundo o gabinete estatístico europeu, o indicador de mortalidade excessiva é calculado como a diferença relativa (expressa em percentagem) do número de mortes mensais em relação à sua média para o mesmo mês durante o período 2016-2019.

Outra das consequências da pandemia em 2020 foi o recuo económico da UE, tendo o Produto Interno Bruto (PIB) da médias dos 27 Estados-membros sofrido uma quebra histórica de 11,4% no segundo trimestre de 2020, face aos primeiros três meses do ano, e uma recuperação de 11,5%, tendo a economia da UE voltado a contrair-se 0,4% entre Outubro e Dezembro de 2020.

A taxa de emprego, outros dos indicadores que o painel sobre as consequências da covid-19 contempla, recuperou no terceiro trimestre de 2020 na UE (72,4%).