UE mantém primeiros contactos com a Rússia sobre vacina Sputnik V

Moscovo - A Comissão Europeia anunciou nesta quarta-feira (25) os primeiros contactos com a Rússia sobre a sua vacina contra o novo coronavírus, a Sputnik V, após o envio do primeiro lote do imunizante para a Hungria.

"O desenvolvedor da vacina fez contacto com a Agência Europeia de Medicamentos [EMA, na sigla em inglês] e agora ambos estão na fase das primeiras conversas", disse à Sputnik um porta-voz da Comissão Europeia, o órgão executivo da União Europeia.

O funcionário detalhou que a EMA não recebeu nenhuma solicitação para autorizar a comercialização da vacina desenvolvida pelo Centro Nacional de Pesquisa de Epidemiologia e Microbiologia Gamaleya no território da Comunidade Europeia.

Terça-feira, Kirill Dmitriev, director-geral do Fundo Russo de Investimentos Diretos (RFPI, na sigla em russo), que é responsável por financiar o desenvolvimento da Sputnik V, revelou que a sua instituição enviou em Outubro uma solicitação à EMA para receber a autorização.

Além disso, Dmitriev não descartou que empresas farmacêuticas da Alemanha se juntem à produção da vacina do Centro Gamaleya.

O RFPI também espera nesta semana a visita de uma grande delegação da França.

A Hungria, um país-membro da União Europeia, foi a primeira nação do bloco a receber um lote da vacina Sputnik V, conforme anunciou em 19 de Novembro o ministro das Relações Exteriores húngaro, Peter Szijjarto.

"O desenvolvedor da vacina fez contacto com a Agência Europeia de Medicamentos [EMA, na sigla em inglês] e agora ambos estão na fase das primeiras conversas", disse à Sputnik um porta-voz da Comissão Europeia, o órgão executivo da União Europeia.

O funcionário detalhou que a EMA não recebeu nenhuma solicitação para autorizar a comercialização da vacina desenvolvida pelo Centro Nacional de Pesquisa de Epidemiologia e Microbiologia Gamaleya no território da Comunidade Europeia.

Terça-feira, Kirill Dmitriev, director-geral do Fundo Russo de Investimentos Diretos (RFPI, na sigla em russo), que é responsável por financiar o desenvolvimento da Sputnik V, revelou que a sua instituição enviou em Outubro uma solicitação à EMA para receber a autorização.

Além disso, Dmitriev não descartou que empresas farmacêuticas da Alemanha se juntem à produção da vacina do Centro Gamaleya.

O RFPI também espera nesta semana a visita de uma grande delegação da França.

A Hungria, um país-membro da União Europeia, foi a primeira nação do bloco a receber um lote da vacina Sputnik V, conforme anunciou em 19 de Novembro o ministro das Relações Exteriores húngaro, Peter Szijjarto.