Angola enaltece Níger e Namíbia pela aplicação da UPR

  • Bandeira da ONU
Luanda - Angola enalteceu, segunda-feira, os esforços do Níger e da Namíbia na apresentação regular dos relatórios sobre a Revisão Periódica Universal (UPR), para o restabelecimento da autoridade do Estado nos respectivos territórios e a protecção dos direitos humanos.

De acordo com uma nota da Missão Permanente de Angola junto do Escritório das Nações Unidas e outras Organizações Internacionais em Genebra (Suíça), o país encorajou o Níger a intensificar a luta contra o tráfico ilícito de drogas, a fim de reduzir o impacto negativo na juventude, congratulando-se, no entanto, com os esforços envidados para a promoção de emprego decente e combate à pobreza.

A posição de Angola foi manifestada durante a 38ª Sessão do Grupo de Trabalho da UPR, a decorrer até ao dia 14 de Maio, na qual o país é representado pela sua embaixadora junto do Escritório da ONU e outras Organizações Internacionais em Genebra, Margarida Izata.

Em relação à Namíbia, Angola elogiou as medidas de impacto positivo dos direitos humanos tomadas desde a última sessão da Revisão Periódica Universal, destacando "o forte empenho" a favor da protecção das pessoas que vivem com o HIV, especialmente mulheres e raparigas, o que torna o país líder na região da SADC.

Neste sentido, Angola recomendou à Namíbia para reforçar a educação e formação relacionadas com o HIV e continuar a pôr em prática programas de sensibilização sobre alterações climáticas e redução do risco de desastres.

Saliente-se que as observações e recomendações apresentadas pelo Grupo de Trabalho da Revisão Periódica Universal das Nações Unidas contribuem para o reforço de mecanismos nacionais de promoção e protecção dos Direitos Humanos.

De acordo com uma nota da Missão Permanente de Angola junto do Escritório das Nações Unidas e outras Organizações Internacionais em Genebra (Suíça), o país encorajou o Níger a intensificar a luta contra o tráfico ilícito de drogas, a fim de reduzir o impacto negativo na juventude, congratulando-se, no entanto, com os esforços envidados para a promoção de emprego decente e combate à pobreza.

A posição de Angola foi manifestada durante a 38ª Sessão do Grupo de Trabalho da UPR, a decorrer até ao dia 14 de Maio, na qual o país é representado pela sua embaixadora junto do Escritório da ONU e outras Organizações Internacionais em Genebra, Margarida Izata.

Em relação à Namíbia, Angola elogiou as medidas de impacto positivo dos direitos humanos tomadas desde a última sessão da Revisão Periódica Universal, destacando "o forte empenho" a favor da protecção das pessoas que vivem com o HIV, especialmente mulheres e raparigas, o que torna o país líder na região da SADC.

Neste sentido, Angola recomendou à Namíbia para reforçar a educação e formação relacionadas com o HIV e continuar a pôr em prática programas de sensibilização sobre alterações climáticas e redução do risco de desastres.

Saliente-se que as observações e recomendações apresentadas pelo Grupo de Trabalho da Revisão Periódica Universal das Nações Unidas contribuem para o reforço de mecanismos nacionais de promoção e protecção dos Direitos Humanos.