Angola engajada na paz e segurança na região da SADC

  • Secretária de estado das Relações Exteriores, Esmeralda Mendonça
Luanda – Angola continua a envidar esforços para contribuir na consolidação da paz, segurança e democracia nos Estados membros da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC), afirmou, esta quarta-feira, em Luanda, a secretária de Estado das Relações Exteriores, Esmeralda Mendonça.

Esmeralda Mendonça, que falava à imprensa no final da 23ª Reunião Virtual do Comité Ministerial do Órgão de Cooperação para a Política, Defesa e Segurança da SADC, garantiu que Angola continuará a contribuir igualmente para a pacificação e o diálogo na região austral, facto que tem granjeado o respeito dos Estados membros da organização.

Disse que os Estados membros da organização estão solidários com a situação de insegurança, que se vive em Moçambique, particularmente na região de Cabo Delgado, tendo salientado que os países estão solidários e são unânimes, em empreender todos os esforços para a consolidação da paz e da concórdia.

A secretária de Estado referiu que os participantes à reunião abordaram a realização das eleições nas Ilhas Seychelles e na República Unida da Tanzânia, sem a presença, pela primeira vez, de observadores da SADC, devido às restrições impostas pela pandemia da Covid-19, o que poderá ocorrer igualmente em Angola, em 2022.

Durante a reunião, Angola saudou o trabalho desenvolvido, pelo secretariado executivo da SADC, no concernente à avaliação das ameaças à segurança na região e alinha na necessidade de implementação de um plano de acção orçamentado, tendo em conta o alto impacto das ameaças nos Estados membros.

A 23ª Reunião Virtual do Comité Ministerial do Órgão de Cooperação para a Política, Defesa e Segurança foi precedida de uma reunião de peritos, realizada nos dias 5 e 6 do corrente mês.

A SADC foi criada a 17 de Agosto de 1992, na Cimeira de Windhoek, na Namíbia, visando a promoção do crescimento e desenvolvimento económico sustentável e a integração regional.

São membros da comunidade Angola, África do Sul, Botswana, Comores, Eswatini, República Democrática do Congo, Lesotho, Madagáscar, Malawi, Maurícias, Moçambique, Namíbia, República Unida da Tanzânia, Zâmbia, Zimbabwé e Seychelles.

Esmeralda Mendonça, que falava à imprensa no final da 23ª Reunião Virtual do Comité Ministerial do Órgão de Cooperação para a Política, Defesa e Segurança da SADC, garantiu que Angola continuará a contribuir igualmente para a pacificação e o diálogo na região austral, facto que tem granjeado o respeito dos Estados membros da organização.

Disse que os Estados membros da organização estão solidários com a situação de insegurança, que se vive em Moçambique, particularmente na região de Cabo Delgado, tendo salientado que os países estão solidários e são unânimes, em empreender todos os esforços para a consolidação da paz e da concórdia.

A secretária de Estado referiu que os participantes à reunião abordaram a realização das eleições nas Ilhas Seychelles e na República Unida da Tanzânia, sem a presença, pela primeira vez, de observadores da SADC, devido às restrições impostas pela pandemia da Covid-19, o que poderá ocorrer igualmente em Angola, em 2022.

Durante a reunião, Angola saudou o trabalho desenvolvido, pelo secretariado executivo da SADC, no concernente à avaliação das ameaças à segurança na região e alinha na necessidade de implementação de um plano de acção orçamentado, tendo em conta o alto impacto das ameaças nos Estados membros.

A 23ª Reunião Virtual do Comité Ministerial do Órgão de Cooperação para a Política, Defesa e Segurança foi precedida de uma reunião de peritos, realizada nos dias 5 e 6 do corrente mês.

A SADC foi criada a 17 de Agosto de 1992, na Cimeira de Windhoek, na Namíbia, visando a promoção do crescimento e desenvolvimento económico sustentável e a integração regional.

São membros da comunidade Angola, África do Sul, Botswana, Comores, Eswatini, República Democrática do Congo, Lesotho, Madagáscar, Malawi, Maurícias, Moçambique, Namíbia, República Unida da Tanzânia, Zâmbia, Zimbabwé e Seychelles.