Angola participa na 51ª reunião ministerial da UNSAC

  • Secretária de Estado das Relações Exteriores, Esmeralda Mendonça.
Luanda - Angola participa nesta sexta-feira, na cidade de Bujumbura, Burundi, na 51ª reunião do Comité Consultivo Permanente das Nações Unidas Encarregue das Questões de Segurança na África Central (UNSAC), que dedicará especial atenção à situação política e de estabilidade na República Centro Africana e  no Tchad.

Sob o lema “Gestão dos Processos Eleitorais na Região da África Central”, a 51ª sessão da UNSAC foi antecedida, de 24 a 27 deste mês, de um encontro de peritos que avaliou o nível de segurança da região face aos desafios no combate ao terrorismo, ao extremismo violento, ao desarmamento e à pirataria marítima.

Em nota, a direcção de Tecnologias de Informação, Comunicação Institucional e Imprensa do Ministério das Relações Exteriores informa que a delegação interministerial de Angola é chefiada pela secretária de Estado para as Relações Exteriores, Esmeralda Mendonça, em representação do titular, Téte António.

Integram ainda a comitiva angolana os secretários de Estado para a Defesa Nacional, José Maria de Lima, do Interior, José Bamuquina Zau, entre outros responsáveis.

A República do Burundi assume a presidência da UNSAC por um período de seis meses, sucedendo a Guiné-Equatorial. Nesta reunião, Angola será eleita segunda vice-presidente do comité, ao passo que o Gabão ocupará o posto de primeiro vice-presidente.

Relativamente à Gestão dos Processos Eleitorais em África, os membros deste mecanismo de concertação político-diplomático, estabelecido entre a ONU e a CEEAC, congratularam-se pelas eleições realizadas no Burundi, RCA e República do Congo, mas manifestaram a sua preocupação pelas dificuldades que outros países da região encontraram na realização dos pleitos eleitorais.

Os Estados-membros da CEEAC sublinharam o importante papel que a República de Angola tem desempenhando, na região, em prol da reconciliação, estabilização e pacificação da República Centro Africana.

As duas Mini-cimeiras de Chefes de Estado e de Governo da Conferência Internacional sobre a Região dos Grandes Lagos, realizadas em Luanda, nos meses de Janeiro e Abril do presente ano, são exemplos dessa dedicação.

Sob o lema “Gestão dos Processos Eleitorais na Região da África Central”, a 51ª sessão da UNSAC foi antecedida, de 24 a 27 deste mês, de um encontro de peritos que avaliou o nível de segurança da região face aos desafios no combate ao terrorismo, ao extremismo violento, ao desarmamento e à pirataria marítima.

Em nota, a direcção de Tecnologias de Informação, Comunicação Institucional e Imprensa do Ministério das Relações Exteriores informa que a delegação interministerial de Angola é chefiada pela secretária de Estado para as Relações Exteriores, Esmeralda Mendonça, em representação do titular, Téte António.

Integram ainda a comitiva angolana os secretários de Estado para a Defesa Nacional, José Maria de Lima, do Interior, José Bamuquina Zau, entre outros responsáveis.

A República do Burundi assume a presidência da UNSAC por um período de seis meses, sucedendo a Guiné-Equatorial. Nesta reunião, Angola será eleita segunda vice-presidente do comité, ao passo que o Gabão ocupará o posto de primeiro vice-presidente.

Relativamente à Gestão dos Processos Eleitorais em África, os membros deste mecanismo de concertação político-diplomático, estabelecido entre a ONU e a CEEAC, congratularam-se pelas eleições realizadas no Burundi, RCA e República do Congo, mas manifestaram a sua preocupação pelas dificuldades que outros países da região encontraram na realização dos pleitos eleitorais.

Os Estados-membros da CEEAC sublinharam o importante papel que a República de Angola tem desempenhando, na região, em prol da reconciliação, estabilização e pacificação da República Centro Africana.

As duas Mini-cimeiras de Chefes de Estado e de Governo da Conferência Internacional sobre a Região dos Grandes Lagos, realizadas em Luanda, nos meses de Janeiro e Abril do presente ano, são exemplos dessa dedicação.