Angola passa presidência do UNSAC à Guiné Equatorial

  • Vista parcial da Marginal de Luanda
Luanda - Angola passa nesta quarta-feira, à Guine Equatorial, a presidência do Comité́ de Peritos das Nações Unidas Encarregue pelas Questões de Segurança na África Central (UNSAC).

A passagem da presidência acontece durante a quinquagésima reunião de peritos do comité consultivo permanente deste órgão, a decorrer por videoconferência, conforme uma nota do Ministério das Relações Exteriores, chegada à ANGOP.

A cerimónia de abertura do evento, com duração de dois dias, será orientada pela secretária de Estado para as Relações Exteriores, Esmeralda Mendonça.

Durante a reunião, os participantes vão analisar questões ligadas à paz e segurança na Africa Central, o papel das mulheres na promoção da paz e segurança em período de Covid-19, apresentação do Centro Inter-Regional de Coordenação, direitos do homem e democracia na África Central, além da análise da situação financeira do Comité́.

Os peritos vão abordar, igualmente, a questão da luta contra a Covid-19 e as suas implicações para a construção da paz e a segurança na África Central, propostas para uma acção comum, com vista a mitigação dos efeitos sociais, económicos e de segurança e a prevenção contra a propagação nas regiões fronteiriças.

Na pauta consta igualmente a preparação da agenda para a Reunião Ministerial, marcada para o dia 4 do mês em curso, que vai analisar o relatório do Comité de Peritos, debater o tema “África Central e a Covid-19: abordagem colectiva e estratégias de saída da crise”, “Paz e segurança para eleições inclusivas na África Central”.

Está também prevista a adoptarão de uma Declaração Final.

A reunião ministerial terá a participação do Presidente da CEEAC, Gilberto Veríssimo, e do Representante Especial do Secretário-Geral da ONU para a África Central.

Além de Angola, são membros do Comité Consultivo Permanente das Nações Unidas Encarregue pelas Questões de Segurança na África Central (UNSAC) o Burundi, Gabão, Camarões, República do Congo, República Democrática do Congo, São Tomé e Príncipe, Ruanda, República Centro Africana e Guiné Equatorial.

A passagem da presidência acontece durante a quinquagésima reunião de peritos do comité consultivo permanente deste órgão, a decorrer por videoconferência, conforme uma nota do Ministério das Relações Exteriores, chegada à ANGOP.

A cerimónia de abertura do evento, com duração de dois dias, será orientada pela secretária de Estado para as Relações Exteriores, Esmeralda Mendonça.

Durante a reunião, os participantes vão analisar questões ligadas à paz e segurança na Africa Central, o papel das mulheres na promoção da paz e segurança em período de Covid-19, apresentação do Centro Inter-Regional de Coordenação, direitos do homem e democracia na África Central, além da análise da situação financeira do Comité́.

Os peritos vão abordar, igualmente, a questão da luta contra a Covid-19 e as suas implicações para a construção da paz e a segurança na África Central, propostas para uma acção comum, com vista a mitigação dos efeitos sociais, económicos e de segurança e a prevenção contra a propagação nas regiões fronteiriças.

Na pauta consta igualmente a preparação da agenda para a Reunião Ministerial, marcada para o dia 4 do mês em curso, que vai analisar o relatório do Comité de Peritos, debater o tema “África Central e a Covid-19: abordagem colectiva e estratégias de saída da crise”, “Paz e segurança para eleições inclusivas na África Central”.

Está também prevista a adoptarão de uma Declaração Final.

A reunião ministerial terá a participação do Presidente da CEEAC, Gilberto Veríssimo, e do Representante Especial do Secretário-Geral da ONU para a África Central.

Além de Angola, são membros do Comité Consultivo Permanente das Nações Unidas Encarregue pelas Questões de Segurança na África Central (UNSAC) o Burundi, Gabão, Camarões, República do Congo, República Democrática do Congo, São Tomé e Príncipe, Ruanda, República Centro Africana e Guiné Equatorial.