Angola reforça parceria estratégica com Reino de Espanha 

  • Presidente da República, João Lourenço (à esq.), reúne-se com o Rei Filipe VI, de Espanha
Madrid (Dos enviados especiais) - O Presidente da República, João Lourenço, reafirmou esta terça-feira, em Madrid, a necessidade de Angola estabelecer uma verdadeira parceria estratégica com o Reino de Espanha, que ultrapasse a esfera, meramente, económica e empresarial.

O Estadista angolano falava durante o almoço oferecido à delegação angolana pelo Rei Filipe VI, de Espanha, no quadro da visita de Estado que efectua a este país europeu, destinada ao reforço da cooperação bilateral.

O Chefe de Estado angolano defendeu, na ocasião, o alargamento da parceria estratégica com o Reino de Espanha a nível das consultas políticas, diplomáticas e das trocas de informação em vários domínios da vida dos dois países.

"Pretendemos, com esta visita, estabelecer uma verdadeira parceira estratégica com o vosso país, reforçando os laços de amizade e cooperação em importantes domínios da nossa economia, com destaque para a política, educação, agricultura, energia, construção civil, pescas, saúde, defesa e segurança", assinalou.

Indicou que, sendo a Espanha uma das mais importantes economias da União Europeia, "é nossa pretensão contar com o vosso apoio e experiência, para que Angola volte a trilhar o caminho do crescimento e desenvolvimento, afectado pela crise da Covid-19, que trouxe consigo a pior recessão económica já mais vivida pelo mundo".

O Presidente João Lourenço disse que o facto de realizar esta visita ao Reino de Espanha, cinco meses apenas da visita a Angola do Presidente do Governo Espanhol, Pedro Sanches, "traduz a expressão das boas relações de cooperação entre Angola e esta tão importante nação da União Europeia".

O Chefe de Estado angolano disse ter consciência da grande relevância que têm as relações com a Espanha, por ser um país que colocou Angola entre as suas prioridades na cooperação com as nações do continente africano.

Mercado angolano aberto aos empresários espanhóis 

Na sua intervenção, o Presidente João Lourenço deu a conhecer que o mercado angolano está aberto a uma maior presença de empresários e homens de negócios espanhóis, "para que possamos edificar, na prática, uma base de cooperação mutuamente vantajosa para os nossos povos e países".

Lembrou que, durante a visita a Luanda do Presidente do Governo Espanhol, Pedro Sanches, passaram em revista questões ligadas aos diversos domínios da economia e cooperação e foram assinados alguns acordos e memorandos, com destaque para o acordo de promoção e protecção recíproca de investimentos.

Considerou que, tais factos proporcionarão um ambiente empresarial mais atractivo, susceptível de facilitar a mobilização de empresas nos dois sentidos e promover investimentos que servirão de alavanca para fortalecer as relações de amizade e cooperação entre os dois países.

Construção de uma nova Angola 

Perante os membros do Governo de Espanha, também convidadas para o almoço, entre outras entidades, João Lourenço informou que, nestes quatro anos do seu mandato, o governo tem dado passos importantes para a construção de uma nova Angola, ou seja, "um país mais transparente, de concorrência leal nos negócios e com um ambiente de negócios cada vez mais amigo do investidor".

Referiu que, este novo quadro se vem consolidando "com a tomada de medidas com as quais pretendemos repor a autoridade das instituições do Estado, tornando Angola um país mais atractivo como destino turístico e mais seguro para o investimento privado".

Adiantou que o governo angolano tem, ainda, trabalhado e aprovado medidas para a diversificação da economia, especificamente com o desenvolvimento de outros sectores, além do petrolífero, da redução de importações de bens essenciais, criação de emprego, entre outros.

O Presidente da República observou que, com isso, Angola tem redobrado esforços para a criação de mecanismos e incentivos que encorajem os empresários estrangeiros a investir em diversos sectores da economia nacional.

Acesso a vacinas contra a Covid-19 

O Chefe de Estado angolano apelou, uma vez mais, para que o acesso às vacinas contra a Covid-19 seja universal.

"Considero que, para vencermos definitivamente esta batalha, é necessário que saibamos manter a mesma solidariedade que nos caracterizou até aqui e que o acesso às vacinas seja universal e ao alcance de todos os países, de modo a permitir que se imunize o maior número possível de pessoas em todo o mundo", vincou.

Segundo o Estadista, os êxitos alcançados até hoje, no combate à pandemia, foram possíveis graças à unidade de acção e à coordenação estabelecida entre as várias nações do mundo, que perceberam não ser possível vencer esta grave crise de forma individualizada.

Aproveitou a ocasião para manifestar às autoridades e ao povo de Espanha a solidariedade de Angola pelo momento difícil que enfrentam, na sequência da erupção de um vulcão, em La Palma, no arquipélago das ilhas Canárias, que provocou inúmeros danos materiais e forçou a evacuação e realojamento de uma parte dos seus habitantes.

Antes do almoço, o Presidente da República manteve um encontro com o Rei Filipe VI, na residência oficial do Monarca, (Palácio da Zarzuela), a que assistiram os ministros das Relações Exteriores, Téte António, e o embaixador de Angola, José Luís de Matos.

O Chefe de Estado angolano, João Lourenço, reuniu-se, também, com o Presidente do Governo de Espanha, Pedro Sanches, com quem avaliou a implementação dos acordos de cooperação assinados entre os dois países.

Angola e o Reino de Espanha têm rubricados vários acordos de cooperação, fundamentalmente nos domínios da agricultura, pescas, indústria, comércio, turismo, defesa e segurança e dos transportes aéreos.

 

O Estadista angolano falava durante o almoço oferecido à delegação angolana pelo Rei Filipe VI, de Espanha, no quadro da visita de Estado que efectua a este país europeu, destinada ao reforço da cooperação bilateral.

O Chefe de Estado angolano defendeu, na ocasião, o alargamento da parceria estratégica com o Reino de Espanha a nível das consultas políticas, diplomáticas e das trocas de informação em vários domínios da vida dos dois países.

"Pretendemos, com esta visita, estabelecer uma verdadeira parceira estratégica com o vosso país, reforçando os laços de amizade e cooperação em importantes domínios da nossa economia, com destaque para a política, educação, agricultura, energia, construção civil, pescas, saúde, defesa e segurança", assinalou.

Indicou que, sendo a Espanha uma das mais importantes economias da União Europeia, "é nossa pretensão contar com o vosso apoio e experiência, para que Angola volte a trilhar o caminho do crescimento e desenvolvimento, afectado pela crise da Covid-19, que trouxe consigo a pior recessão económica já mais vivida pelo mundo".

O Presidente João Lourenço disse que o facto de realizar esta visita ao Reino de Espanha, cinco meses apenas da visita a Angola do Presidente do Governo Espanhol, Pedro Sanches, "traduz a expressão das boas relações de cooperação entre Angola e esta tão importante nação da União Europeia".

O Chefe de Estado angolano disse ter consciência da grande relevância que têm as relações com a Espanha, por ser um país que colocou Angola entre as suas prioridades na cooperação com as nações do continente africano.

Mercado angolano aberto aos empresários espanhóis 

Na sua intervenção, o Presidente João Lourenço deu a conhecer que o mercado angolano está aberto a uma maior presença de empresários e homens de negócios espanhóis, "para que possamos edificar, na prática, uma base de cooperação mutuamente vantajosa para os nossos povos e países".

Lembrou que, durante a visita a Luanda do Presidente do Governo Espanhol, Pedro Sanches, passaram em revista questões ligadas aos diversos domínios da economia e cooperação e foram assinados alguns acordos e memorandos, com destaque para o acordo de promoção e protecção recíproca de investimentos.

Considerou que, tais factos proporcionarão um ambiente empresarial mais atractivo, susceptível de facilitar a mobilização de empresas nos dois sentidos e promover investimentos que servirão de alavanca para fortalecer as relações de amizade e cooperação entre os dois países.

Construção de uma nova Angola 

Perante os membros do Governo de Espanha, também convidadas para o almoço, entre outras entidades, João Lourenço informou que, nestes quatro anos do seu mandato, o governo tem dado passos importantes para a construção de uma nova Angola, ou seja, "um país mais transparente, de concorrência leal nos negócios e com um ambiente de negócios cada vez mais amigo do investidor".

Referiu que, este novo quadro se vem consolidando "com a tomada de medidas com as quais pretendemos repor a autoridade das instituições do Estado, tornando Angola um país mais atractivo como destino turístico e mais seguro para o investimento privado".

Adiantou que o governo angolano tem, ainda, trabalhado e aprovado medidas para a diversificação da economia, especificamente com o desenvolvimento de outros sectores, além do petrolífero, da redução de importações de bens essenciais, criação de emprego, entre outros.

O Presidente da República observou que, com isso, Angola tem redobrado esforços para a criação de mecanismos e incentivos que encorajem os empresários estrangeiros a investir em diversos sectores da economia nacional.

Acesso a vacinas contra a Covid-19 

O Chefe de Estado angolano apelou, uma vez mais, para que o acesso às vacinas contra a Covid-19 seja universal.

"Considero que, para vencermos definitivamente esta batalha, é necessário que saibamos manter a mesma solidariedade que nos caracterizou até aqui e que o acesso às vacinas seja universal e ao alcance de todos os países, de modo a permitir que se imunize o maior número possível de pessoas em todo o mundo", vincou.

Segundo o Estadista, os êxitos alcançados até hoje, no combate à pandemia, foram possíveis graças à unidade de acção e à coordenação estabelecida entre as várias nações do mundo, que perceberam não ser possível vencer esta grave crise de forma individualizada.

Aproveitou a ocasião para manifestar às autoridades e ao povo de Espanha a solidariedade de Angola pelo momento difícil que enfrentam, na sequência da erupção de um vulcão, em La Palma, no arquipélago das ilhas Canárias, que provocou inúmeros danos materiais e forçou a evacuação e realojamento de uma parte dos seus habitantes.

Antes do almoço, o Presidente da República manteve um encontro com o Rei Filipe VI, na residência oficial do Monarca, (Palácio da Zarzuela), a que assistiram os ministros das Relações Exteriores, Téte António, e o embaixador de Angola, José Luís de Matos.

O Chefe de Estado angolano, João Lourenço, reuniu-se, também, com o Presidente do Governo de Espanha, Pedro Sanches, com quem avaliou a implementação dos acordos de cooperação assinados entre os dois países.

Angola e o Reino de Espanha têm rubricados vários acordos de cooperação, fundamentalmente nos domínios da agricultura, pescas, indústria, comércio, turismo, defesa e segurança e dos transportes aéreos.