Angolanos no Kenya criam associação

Luanda - A comunidade angolana residente no Kenya proclamou, este sábado, em Nairobi, a Associação dos Angolanos Residentes naquele país.

A associação é presidida por Arnaldo Panzo Joaquim, que prometeu trabalhar em prol da unidade entre os membros da comunidade e reforçar os mecanismos de interacção com a Embaixada de Angola no Kenya.

Por seu turno, o embaixador de Angola acreditado no Kenya, Sianga Abílio, reiterou a total disposição em trabalhar com a associação, como principal interlocutor da missão diplomática.

Sianga Abílio aproveitou a ocasião e alertou os membros da comunidade para a necessidade de estarem preparados, para desempenharem um papel activo no processo eleitoral de 2022, uma vez que, pela primeira vez na história da democracia, os angolanos na diáspora terão direito ao exercício do voto.

Nesta perspectiva, Sianga Abílio garantiu aos membros da associação prestar informações pontuais ligadas à evolução do processo eleitoral de 2022.

O diplomata incentivou os membros da associação, na sua maioria estudantes, a apostarem na prática de acções viradas para o bem geral, seguindo os ensinamentos do fundador da Nação, António Agostinho Neto.

O processo constitutivo da Associação dos Angolanos Residentes no Kenya iniciou em Outubro de 2019, na sequência de um repto lançado, na altura, pelo embaixador Sianga Abílio, aquando de uma reunião com a comunidade.

A associação é presidida por Arnaldo Panzo Joaquim, que prometeu trabalhar em prol da unidade entre os membros da comunidade e reforçar os mecanismos de interacção com a Embaixada de Angola no Kenya.

Por seu turno, o embaixador de Angola acreditado no Kenya, Sianga Abílio, reiterou a total disposição em trabalhar com a associação, como principal interlocutor da missão diplomática.

Sianga Abílio aproveitou a ocasião e alertou os membros da comunidade para a necessidade de estarem preparados, para desempenharem um papel activo no processo eleitoral de 2022, uma vez que, pela primeira vez na história da democracia, os angolanos na diáspora terão direito ao exercício do voto.

Nesta perspectiva, Sianga Abílio garantiu aos membros da associação prestar informações pontuais ligadas à evolução do processo eleitoral de 2022.

O diplomata incentivou os membros da associação, na sua maioria estudantes, a apostarem na prática de acções viradas para o bem geral, seguindo os ensinamentos do fundador da Nação, António Agostinho Neto.

O processo constitutivo da Associação dos Angolanos Residentes no Kenya iniciou em Outubro de 2019, na sequência de um repto lançado, na altura, pelo embaixador Sianga Abílio, aquando de uma reunião com a comunidade.