Divisão Político-Administrativa visa aproximar serviços sociais e económicos às populações

  • Ernesto Muangala, Governador da Lunda-Norte
Lucapa – O governador provincial da Lunda Norte, Ernesto Muangala, reiterou, esta terça-feira, que a nova Divisão Político-Administrativa do país, que prevê a criação de cinco novas províncias, visa aproximar os serviços sociais e económicos às populações.

Ernesto Muangala, que falava durante um encontro de auscultação com membros da sociedade civil do município de Lucapa, disse que a nova divisão político-administrativa do país representa um marco importante na gestão dos recursos humanos e do território, porquanto vai permitir melhor aproveitamento dos quadros nacionais.

Na ocasião, o governante afirmou que a nova divisão político-administrativa não compromete a realização das eleições gerais de 2022.

“Esta iniciativa não visa, como se especula, o adiamento das eleições gerais. O Executivo tem compromisso com o calendário eleitoral, como orienta a Constituição da República, por ser um pressuposto para a consolidação da democracia e da cidadania. Neste sentido, apelo à população a não cair em especulações e apoiar o projecto com ideias construtivas, para que o projecto seja concretizado para o bem-estar de todos”, salientou.

Em Julho último, o Presidente da República, João Lourenço, criou uma Comissão Multissectorial para alteração da Divisão Político-Administrativa do país, abrangendo as províncias do Cuando Cubango, Lunda Norte, Malanje, Moxico e Uíge, com vista a criar maior aproximação entre as entidades administrativas e os cidadãos, assim como uma gestão mais justa e equilibrada do território nacional.

O processo de auscultação pública sobre a alteração da divisão político-administrativa do país irá decorrer até 16 de Setembro próximo.

A província da Lunda Norte localiza-se a Nordeste do país, ocupando actualmente uma superfície de 103 mil e 760 quilómetros quadrados, correspondente a 8,32 por cento do território nacional, e faz fronteira terrestre e fluvial a Norte e Este com a República Democrática do Congo.

Tem a sua capital na cidade do Dundo (município do Chitato) e está dividida em dez municípios, designadamente Chitato, Lóvua, Cambulo, Lucapa, Cuilo, Lubalo, Capenda Camulemba, Xá-muteba, Cuango e Caungula, 25 comunas e três distritos urbanos, que acolhem cerca de um milhão de habitantes.

Ernesto Muangala, que falava durante um encontro de auscultação com membros da sociedade civil do município de Lucapa, disse que a nova divisão político-administrativa do país representa um marco importante na gestão dos recursos humanos e do território, porquanto vai permitir melhor aproveitamento dos quadros nacionais.

Na ocasião, o governante afirmou que a nova divisão político-administrativa não compromete a realização das eleições gerais de 2022.

“Esta iniciativa não visa, como se especula, o adiamento das eleições gerais. O Executivo tem compromisso com o calendário eleitoral, como orienta a Constituição da República, por ser um pressuposto para a consolidação da democracia e da cidadania. Neste sentido, apelo à população a não cair em especulações e apoiar o projecto com ideias construtivas, para que o projecto seja concretizado para o bem-estar de todos”, salientou.

Em Julho último, o Presidente da República, João Lourenço, criou uma Comissão Multissectorial para alteração da Divisão Político-Administrativa do país, abrangendo as províncias do Cuando Cubango, Lunda Norte, Malanje, Moxico e Uíge, com vista a criar maior aproximação entre as entidades administrativas e os cidadãos, assim como uma gestão mais justa e equilibrada do território nacional.

O processo de auscultação pública sobre a alteração da divisão político-administrativa do país irá decorrer até 16 de Setembro próximo.

A província da Lunda Norte localiza-se a Nordeste do país, ocupando actualmente uma superfície de 103 mil e 760 quilómetros quadrados, correspondente a 8,32 por cento do território nacional, e faz fronteira terrestre e fluvial a Norte e Este com a República Democrática do Congo.

Tem a sua capital na cidade do Dundo (município do Chitato) e está dividida em dez municípios, designadamente Chitato, Lóvua, Cambulo, Lucapa, Cuilo, Lubalo, Capenda Camulemba, Xá-muteba, Cuango e Caungula, 25 comunas e três distritos urbanos, que acolhem cerca de um milhão de habitantes.