Autoridades tradicionais da Maianga querem retorno de estatuto de município

  • Um ângulo da Maianga
Luanda - As autoridades tradicionais do distrito urbano da Maianga, município de Luanda, solicitaram, neste sábado, a advocacia do primeiro secretário provincial do MPLA na capital do país, Bento Bento, junto das instituições competentes para devolver o estatuto de município ao distrito urbano da Maianga.

O pedido de advocacia foi feito durante o encontro de auscultação as estruturas de base do MPLA , denominado “ Éme em Movimento" onde  o soba grande da Maianga, Monteiro Cacungo,  leu a carta que manifesta a intenção e já  dirigida ao Presidente da República, João Lourenço.

Na missiva, as autoridades tradicionais apontam como motivo para o retorno da Maianga a município as valências económicas e sociais, que permitem arrecadar receitas para os cofres do Estado, tais como o Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, o doméstico, o Hospital Josina Machel (Ex-Maria Pia), as Clínicas do Prenda e Girassol, os mercado do Catinton, entre outras infra-estruturas.

Apontaram, igualmente, o largo das escolas, as Cacimbas do Rei e do Povo, que reabilitadas podem ser pontos turísticos de referência em função da importância histórica.

Sem avançar números, reprovaram o actual orçamento que o distrito recebe, visto que não serve para acudir as dificuldades  dos mais de 600 mil habitantes que vivem na circunscrição, uma vez que é o maior distrito urbano do município de Luanda.

Na ocasião, os representantes da juventude, mulheres e associações foram unânimes em pedir a redução do preço dos produtos da cesta básica, melhoria no fornecimento de água e luz, combate a criminalidade, a reabilitação das vias secundárias e terciárias, para o bem-estar dos munícipes.

Em resposta a inquietação dos munícipes, a presidente da Comissão Administrativa da Cidade de Luanda (CACL), Maria Antónia Nelumba, disse que muitas das questões apresentadas são conjunturais, mas as que dependem da sua instituição, tais como a construção de escolas e outros equipamentos sociais estão inscritos no Programa de Intervenção Integrado nos Municípios (PIIM).

Já o primeiro secretário do MPLA em Luanda, Bento Bento, disse que o partido em Luanda e o Executivo estão trabalhar e tem um programa especial para Luanda que será realizado, através do GPL, com acções mais visíveis, tais como a melhoria da recolha dos resíduos sólidos, energia, água, entre outras.

O pedido de advocacia foi feito durante o encontro de auscultação as estruturas de base do MPLA , denominado “ Éme em Movimento" onde  o soba grande da Maianga, Monteiro Cacungo,  leu a carta que manifesta a intenção e já  dirigida ao Presidente da República, João Lourenço.

Na missiva, as autoridades tradicionais apontam como motivo para o retorno da Maianga a município as valências económicas e sociais, que permitem arrecadar receitas para os cofres do Estado, tais como o Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, o doméstico, o Hospital Josina Machel (Ex-Maria Pia), as Clínicas do Prenda e Girassol, os mercado do Catinton, entre outras infra-estruturas.

Apontaram, igualmente, o largo das escolas, as Cacimbas do Rei e do Povo, que reabilitadas podem ser pontos turísticos de referência em função da importância histórica.

Sem avançar números, reprovaram o actual orçamento que o distrito recebe, visto que não serve para acudir as dificuldades  dos mais de 600 mil habitantes que vivem na circunscrição, uma vez que é o maior distrito urbano do município de Luanda.

Na ocasião, os representantes da juventude, mulheres e associações foram unânimes em pedir a redução do preço dos produtos da cesta básica, melhoria no fornecimento de água e luz, combate a criminalidade, a reabilitação das vias secundárias e terciárias, para o bem-estar dos munícipes.

Em resposta a inquietação dos munícipes, a presidente da Comissão Administrativa da Cidade de Luanda (CACL), Maria Antónia Nelumba, disse que muitas das questões apresentadas são conjunturais, mas as que dependem da sua instituição, tais como a construção de escolas e outros equipamentos sociais estão inscritos no Programa de Intervenção Integrado nos Municípios (PIIM).

Já o primeiro secretário do MPLA em Luanda, Bento Bento, disse que o partido em Luanda e o Executivo estão trabalhar e tem um programa especial para Luanda que será realizado, através do GPL, com acções mais visíveis, tais como a melhoria da recolha dos resíduos sólidos, energia, água, entre outras.