Delegado da Justiça proibido de frequentar a instituição

  • Símbolo da Justiça
Caxito – A Procuradoria-Geral da República no Bengo proibiu o delegado da Justiça e dos Direitos Humanos na província, Ambrósio Casal, de frequentar as instalações do MP e de manter contactados com os funcionários, salvo se autorizado por este órgão.

Em nota, a Procuradoria Geral da República (PGR) refere alterou a medida de coação pessoal de termo de identidade e residência anteriormente decretada a Ambrósio Casal, para a de proibição de contacto e frequência a delegação da Justiça e dos Direitos Humanos da província.

A PGR indica, na nota enviada à ANGOP esta sexta-feira, em Caxito, que o processo encontra-se em fase instrutória, esclarecendo que o delegado está indiciado no crime de peculato.

Ambrósio Casal assumiu o cargo de delegado da Justiça e dos Direitos Humanos do Bengo em 2020.
 

Em nota, a Procuradoria Geral da República (PGR) refere alterou a medida de coação pessoal de termo de identidade e residência anteriormente decretada a Ambrósio Casal, para a de proibição de contacto e frequência a delegação da Justiça e dos Direitos Humanos da província.

A PGR indica, na nota enviada à ANGOP esta sexta-feira, em Caxito, que o processo encontra-se em fase instrutória, esclarecendo que o delegado está indiciado no crime de peculato.

Ambrósio Casal assumiu o cargo de delegado da Justiça e dos Direitos Humanos do Bengo em 2020.