Bispo tocoísta encoraja governo na criação de novas províncias

  • Dom Afonso Nunes, Bispo da Igreja Simão Toco
Benguela - O Bispo da Igreja Tocoísta, Dom Afonso Nunes, encorajou hoje, segunda-feira, no município do Lobito, o Governo angolano a continuar com o processo de criação de novas províncias, porque vai trazer desenvolvimentos a essas zonas.

Segundo o íder religioso, que falava à imprensa após uma visita ao Porto do Lobito, local onde sua santidade profeta Simão Toco voltou a pisar o solo angolano, após 11 anos deportado na ilha dos Açores, Portugal, essa iniciativa vai facilitar sobretudo a aproximação de serviços e a construção de novas infra-estruturas.

Dom Afonso Nunes disse, sobre a nova divisão administrativa, que a igreja tem uma visão ampla e desinteressada, mas que acredita ser fundamental para o país.

Explicou que a igreja Tocoísta já fez esse exercício, ao criar duas províncias eclesiásticas em Benguela, no Uíge e no Cuanza Sul.

"As populações das futuras províncias do país terão certamente uma maior aproximação dos serviços e vão ver os seus territórios a se desenvolver mais rapidamernte", enfatizou.

O bispo referiu que as instituições a serem criadas numa determinada província não serão iguais às dos municípios e comunas. .

Dom Afonso Nunes considera que, ao se criar algo novo, há sempre opiniões contrárias, mas apela o governo a seguir em frente em prol do bem comum.

Por outro lado, o bispo, que trabalha em Benguela desde a última quarta-feira, doou 100 caixas de massa alimentar, 50 de óleo vegetal, 200 sacos de arroz (25 Kgs), 20 sacos de açúcar de (50 kgs) e 30 de feijão (25 kgs) às cozinhas comunitárias da igreja Tocoísta da província.

A igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo no Mundo (Tocoísta) foi relembrada a 25 de Julho de 1949, pelo profeta Simão Gonçalves Toco. Está implantada em vários países africanos, europeus, asiáticos e da América latina.

Segundo o íder religioso, que falava à imprensa após uma visita ao Porto do Lobito, local onde sua santidade profeta Simão Toco voltou a pisar o solo angolano, após 11 anos deportado na ilha dos Açores, Portugal, essa iniciativa vai facilitar sobretudo a aproximação de serviços e a construção de novas infra-estruturas.

Dom Afonso Nunes disse, sobre a nova divisão administrativa, que a igreja tem uma visão ampla e desinteressada, mas que acredita ser fundamental para o país.

Explicou que a igreja Tocoísta já fez esse exercício, ao criar duas províncias eclesiásticas em Benguela, no Uíge e no Cuanza Sul.

"As populações das futuras províncias do país terão certamente uma maior aproximação dos serviços e vão ver os seus territórios a se desenvolver mais rapidamernte", enfatizou.

O bispo referiu que as instituições a serem criadas numa determinada província não serão iguais às dos municípios e comunas. .

Dom Afonso Nunes considera que, ao se criar algo novo, há sempre opiniões contrárias, mas apela o governo a seguir em frente em prol do bem comum.

Por outro lado, o bispo, que trabalha em Benguela desde a última quarta-feira, doou 100 caixas de massa alimentar, 50 de óleo vegetal, 200 sacos de arroz (25 Kgs), 20 sacos de açúcar de (50 kgs) e 30 de feijão (25 kgs) às cozinhas comunitárias da igreja Tocoísta da província.

A igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo no Mundo (Tocoísta) foi relembrada a 25 de Julho de 1949, pelo profeta Simão Gonçalves Toco. Está implantada em vários países africanos, europeus, asiáticos e da América latina.