Bornito de Sousa na cerimónia fúnebre de Jorge Sampaio

  • Vice-Presidente da República, Bornito de Sousa
Luanda - O Vice-Presidente da República, Bornito de Sousa, viaja este sábado para Portugal, a fim de participar nas exéquias do antigo Presidente português, Jorge Sampaio.

Segundo nota dos serviços de apoio ao Vice-Presidente, Bornito de Sousa representa o Chefe de Estado angolano, João Lourenço, nas cerimónias fúnebres de Estado.

Jorge Sampaio morreu na passada sexta-feira numa unidade hospitalar, vítima de doença, aos 81 anos de idade.

Numa mensagem de condolências dirigida à família e ao povo português, João Lourenço manifesta  "profundo sentimento de pesar" pelo falecimento de Jorge Sampaio, a quem considerou "homem de elevada cultura" e  "personalidade de grande relevo na vida democrática portuguesa".

Na missiva, o Presidente angolano aponta Jorge Sampaio como uma personalidade de “elevada cultura”, que se empenhou na luta por um futuro melhor para toda a Humanidade, ressaltando que, em reconhecimento do seu empenho, a Organização das Nações Unidas fez do mesmo seu representante para a Luta contra a Tuberculose e também Alto Representante para a Aliança das Civilizações.

Realça igualmente o facto de Jorge Sampaio sempre ter mantido um relacionamento de grande respeito e cordialidade com os Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa e com Angola, em particular.

O Governo português decretou três dias de luto nacional (10, 11 e 12) pela morte de Jorge Fernando Branco de Sampaio, considerado um dos mais proeminentes políticos portugueses da sua geração, que durante mais de 30 anos ocupou vários cargos políticos relevantes no seu país, incluindo o de Presidente da República em dois mandatos consecutivos (1996 a 2006).

Segundo nota dos serviços de apoio ao Vice-Presidente, Bornito de Sousa representa o Chefe de Estado angolano, João Lourenço, nas cerimónias fúnebres de Estado.

Jorge Sampaio morreu na passada sexta-feira numa unidade hospitalar, vítima de doença, aos 81 anos de idade.

Numa mensagem de condolências dirigida à família e ao povo português, João Lourenço manifesta  "profundo sentimento de pesar" pelo falecimento de Jorge Sampaio, a quem considerou "homem de elevada cultura" e  "personalidade de grande relevo na vida democrática portuguesa".

Na missiva, o Presidente angolano aponta Jorge Sampaio como uma personalidade de “elevada cultura”, que se empenhou na luta por um futuro melhor para toda a Humanidade, ressaltando que, em reconhecimento do seu empenho, a Organização das Nações Unidas fez do mesmo seu representante para a Luta contra a Tuberculose e também Alto Representante para a Aliança das Civilizações.

Realça igualmente o facto de Jorge Sampaio sempre ter mantido um relacionamento de grande respeito e cordialidade com os Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa e com Angola, em particular.

O Governo português decretou três dias de luto nacional (10, 11 e 12) pela morte de Jorge Fernando Branco de Sampaio, considerado um dos mais proeminentes políticos portugueses da sua geração, que durante mais de 30 anos ocupou vários cargos políticos relevantes no seu país, incluindo o de Presidente da República em dois mandatos consecutivos (1996 a 2006).