Bureau Político do MPLA lamenta morte do nacionalista Pedro Domingos Peterson

Luanda - O Secretariado do Bureau Político do MPLA manifestou “profundo pesar” pela morte do nacionalista Pedro Domingos Peterson, ocorrida esta quinta-feira, em Luanda, vítima de doença.

Em nota de condolências, chegada à ANGOP, o MPLA destaca que o nacionalista Pedro Domingos Peterson foi membro do Comité Central, coordenador da Comissão de Educação, Cultura, Saúde e Habitação do partido, deputado à Assembleia Nacional e administrador da Fundação Sagrada Esperança.

Natural de Maquela do Zombo, província do Uíge, o finado destacou-se também como professor titular na Universidade Agostinho Neto e mereceu reconhecimento internacional conquistando o título de "Chevalier e membro Des Palmes Académiques Françaises", além de integrante do Conselho Executivo da UNESCO e consultor sénior no domínio da Educação na Delegação da Comissão Europeia em Angola.

“Neste momento de dor e luto, o Bureau Político do Comité Central, em nome dos militantes, simpatizantes e amigos do MPLA, inclina-se perante a memória do finado e  apresenta à família enlutada sentidas condolências”, lê-se no documento.

Em nota de condolências, chegada à ANGOP, o MPLA destaca que o nacionalista Pedro Domingos Peterson foi membro do Comité Central, coordenador da Comissão de Educação, Cultura, Saúde e Habitação do partido, deputado à Assembleia Nacional e administrador da Fundação Sagrada Esperança.

Natural de Maquela do Zombo, província do Uíge, o finado destacou-se também como professor titular na Universidade Agostinho Neto e mereceu reconhecimento internacional conquistando o título de "Chevalier e membro Des Palmes Académiques Françaises", além de integrante do Conselho Executivo da UNESCO e consultor sénior no domínio da Educação na Delegação da Comissão Europeia em Angola.

“Neste momento de dor e luto, o Bureau Político do Comité Central, em nome dos militantes, simpatizantes e amigos do MPLA, inclina-se perante a memória do finado e  apresenta à família enlutada sentidas condolências”, lê-se no documento.