Cresce adesão ao recenseamento militar em Cabinda

  • Forças Armadas Angolanas (FAA)
Cabinda - O recenseamento militar regista uma adesão crescente na província de Cabinda, segundo o chefe do Distrito de Recrutamento e Mobilização da região, tenente-coronel Evaristo Alberto Francisco.

“Os jovens estão a afluir aos locais onde decorre o processo a nível dos quatro municípios da província”, adiantou o responsável, que estimou em dois mil 573 os jovens a recensear na região no ano em curso.

Na abertura do processo, o vice-governador de Cabinda para o sector Político e Social, Miguel dos Santos Oliveira, reforçou o apelo à adesão dos jovens.

Na província de Cabinda o recenseamento militar decorre no município sede, em Cacongo, Buco-Zau e Belize.

Ao abrigo do recente Despacho do Ministério da Defesa Nacional e Veteranos da Pátria, o país iniciou este mês o recenseamento militar dos cidadãos nacionais do sexo masculino nascidos entre os dias 1 de Janeiro e 31 de Dezembro de 2003.

O processo, que se estende até 28 de Fevereiro, decorre no território nacional e no exterior do país. No mesmo período, devem igualmente ser recenseados os cidadãos nascidos em 2002, que não tenham sido cadastrados no ano passado.

O Recenseamento Militar em Angola é feito ao abrigo da Lei número 1/93, de 26 de Março (Lei Geral do Serviço Militar) e tem sido feito  nas administrações municipais, comunais e distritais. No exterior, decorre nas embaixadas e nos consulados de Angola.

O cadastramento permite o controlo das reservas aceitáveis em recursos humanos mobilizáveis, facilitando a renovação regular e qualitativa dos efectivos das Forças Armadas Angolanas conforme as necessidades.

O recenseamento militar visa obter os dados de todos os cidadãos que atingem, em cada ano, a idade das obrigações militares.

“Os jovens estão a afluir aos locais onde decorre o processo a nível dos quatro municípios da província”, adiantou o responsável, que estimou em dois mil 573 os jovens a recensear na região no ano em curso.

Na abertura do processo, o vice-governador de Cabinda para o sector Político e Social, Miguel dos Santos Oliveira, reforçou o apelo à adesão dos jovens.

Na província de Cabinda o recenseamento militar decorre no município sede, em Cacongo, Buco-Zau e Belize.

Ao abrigo do recente Despacho do Ministério da Defesa Nacional e Veteranos da Pátria, o país iniciou este mês o recenseamento militar dos cidadãos nacionais do sexo masculino nascidos entre os dias 1 de Janeiro e 31 de Dezembro de 2003.

O processo, que se estende até 28 de Fevereiro, decorre no território nacional e no exterior do país. No mesmo período, devem igualmente ser recenseados os cidadãos nascidos em 2002, que não tenham sido cadastrados no ano passado.

O Recenseamento Militar em Angola é feito ao abrigo da Lei número 1/93, de 26 de Março (Lei Geral do Serviço Militar) e tem sido feito  nas administrações municipais, comunais e distritais. No exterior, decorre nas embaixadas e nos consulados de Angola.

O cadastramento permite o controlo das reservas aceitáveis em recursos humanos mobilizáveis, facilitando a renovação regular e qualitativa dos efectivos das Forças Armadas Angolanas conforme as necessidades.

O recenseamento militar visa obter os dados de todos os cidadãos que atingem, em cada ano, a idade das obrigações militares.