Cândida Teixeira representa Angola no Panamá

  • Embaixadora de Angola em Cuba, Cândida Teixeira (arquivo)
Luanda - Angola conta, desde esta quarta-feira, com Maria Cândida Pereira Teixeira como embaixadora na República do Panamá, na sequência da apresentação das suas cartas figuradas e credenciais à ministra das Relações Exteriores, Dayra Carrizo Cartillero.

Devido aos condicionalismos derivados da pandemia de Covid-19, o acto de formalização da acreditação da nova embaixadora de Angola no Panamá, país situado no istmo que une a América do Sul à América Central, decorreu por video-conferência, em ligação com Havana, Cuba, onde Maria Cândida Teixeira tem residência permanente.

De acordo com nota da embaixada angolana em Havana, a diplomata angolana agradeceu, em nome do Governo de Angola, a oportunidade de ser acreditada, como embaixadora não residente no Panamá, e manifestou o desejo de contribuir para o reforço das relações bilaterais em vários domínios, numa base mutuamente vantajosa.

Por seu lado, em nome do seu governo, a ministra panamenha das Relações Exteriores concedeu o beneplácito à nova embaixadora não residente da República de Angola no Panamá, enfatizando que ambos países buscam a paz, o consenso e a estabilidade mundial.

Realçou a importância das relações entre Angola e o Panamá, existentes há sensivelmente 32 anos.

Referiu-se, também, ao mau momento que o mundo vive, tendo convidado a embaixadora Cândida Teixeira a visitar o Panamá, tão logo a situação da pandemia de Covid-19 o permita.

Testemunharam o acto, da parte angolana, o primeiro secretário Hélio dos Santos, e a adida Administrativa e Financeira, Mariana Chilala, enquanto que da parte do Panamá a directora para a Política Externa, Isbeth Quiel, e o director do Protocolo e Cerimonial de Estado, Diomedes Carles.

Maria Cândida Pereira Teixeira foi nomeada Embaixadora Extraordinária e Plenipotenciária da República de Angola na República de Cuba, em Março de 2020.

Devido aos condicionalismos derivados da pandemia de Covid-19, o acto de formalização da acreditação da nova embaixadora de Angola no Panamá, país situado no istmo que une a América do Sul à América Central, decorreu por video-conferência, em ligação com Havana, Cuba, onde Maria Cândida Teixeira tem residência permanente.

De acordo com nota da embaixada angolana em Havana, a diplomata angolana agradeceu, em nome do Governo de Angola, a oportunidade de ser acreditada, como embaixadora não residente no Panamá, e manifestou o desejo de contribuir para o reforço das relações bilaterais em vários domínios, numa base mutuamente vantajosa.

Por seu lado, em nome do seu governo, a ministra panamenha das Relações Exteriores concedeu o beneplácito à nova embaixadora não residente da República de Angola no Panamá, enfatizando que ambos países buscam a paz, o consenso e a estabilidade mundial.

Realçou a importância das relações entre Angola e o Panamá, existentes há sensivelmente 32 anos.

Referiu-se, também, ao mau momento que o mundo vive, tendo convidado a embaixadora Cândida Teixeira a visitar o Panamá, tão logo a situação da pandemia de Covid-19 o permita.

Testemunharam o acto, da parte angolana, o primeiro secretário Hélio dos Santos, e a adida Administrativa e Financeira, Mariana Chilala, enquanto que da parte do Panamá a directora para a Política Externa, Isbeth Quiel, e o director do Protocolo e Cerimonial de Estado, Diomedes Carles.

Maria Cândida Pereira Teixeira foi nomeada Embaixadora Extraordinária e Plenipotenciária da República de Angola na República de Cuba, em Março de 2020.