Candidatos à advocacia devem reclamar sobre irregularidades até quarta-feira

  • Logomarca da Ordem dos Advogados de Angola
Luanda - Os candidatos inscritos para o exame nacional de acesso à advocacia, realizado a 21 de Maio último, têm até a próxima quarta-feira (13) para apresentar reclamações à Comissão Organizadora.

O Centro de Estudos da Ordem dos Advogados de Angola, organizador do exame, esclarece, em nota, que deverão apresentar reclamações os candidatos, que por razões técnicas, não conseguiram aceder à plataforma digital criada para o efeito.

Segundo os organizadores do primeiro exame de acesso à advocacia no país, os candidatos têm sete dias, a contar da última sexta-feira (7 de Maio).

A nota adianta que as reclamações deverão ser apresentadas por meio dos números de telefones 222 042 667 e 924 956 037, do WhatsApp 935 542 465 e do endereço electrónico enoaa@cef-oaa.org.

A Comissão desencoraja os candidatos a efectuarem as suas reclamações presencialmente, uma medida que visa conter a progressão da pandemia Covid-19.

A propósito do exame deste ano, o director do Centro de Estudos e Formação da OAA, Marcos Ngola, reconheceu ter havido dificuldades no acesso à plataforama digital.

O responsável adiantou, à Rádio Nacional de Angola, que no dia do exame acederam à plataforma mil 596 candidatos, sendo que outros 24 viram-se impedidos de aceder ao mecanismo, por diversas razões.

O exame nacional de acesso à advocacia é uma condição para o exercício da profissão em Angola e resulta da aprovação, em Março de 2019, de um regulamento sobre a matéria.

Por força do referido regulamento, o exame nacional de acesso à advocacia é convocado, uma vez por ano, pelo bastonário da Ordem dos Advogados de Angola (OAA). É realizado, em simultâneo, em todo o território nacional e coordenado pelo Centro de Estudos e Formação da OAA.

 

O Centro de Estudos da Ordem dos Advogados de Angola, organizador do exame, esclarece, em nota, que deverão apresentar reclamações os candidatos, que por razões técnicas, não conseguiram aceder à plataforma digital criada para o efeito.

Segundo os organizadores do primeiro exame de acesso à advocacia no país, os candidatos têm sete dias, a contar da última sexta-feira (7 de Maio).

A nota adianta que as reclamações deverão ser apresentadas por meio dos números de telefones 222 042 667 e 924 956 037, do WhatsApp 935 542 465 e do endereço electrónico enoaa@cef-oaa.org.

A Comissão desencoraja os candidatos a efectuarem as suas reclamações presencialmente, uma medida que visa conter a progressão da pandemia Covid-19.

A propósito do exame deste ano, o director do Centro de Estudos e Formação da OAA, Marcos Ngola, reconheceu ter havido dificuldades no acesso à plataforama digital.

O responsável adiantou, à Rádio Nacional de Angola, que no dia do exame acederam à plataforma mil 596 candidatos, sendo que outros 24 viram-se impedidos de aceder ao mecanismo, por diversas razões.

O exame nacional de acesso à advocacia é uma condição para o exercício da profissão em Angola e resulta da aprovação, em Março de 2019, de um regulamento sobre a matéria.

Por força do referido regulamento, o exame nacional de acesso à advocacia é convocado, uma vez por ano, pelo bastonário da Ordem dos Advogados de Angola (OAA). É realizado, em simultâneo, em todo o território nacional e coordenado pelo Centro de Estudos e Formação da OAA.