CIRGL incentiva cessar-fogo na RCA

  • Terceira Mini Cimeira da CIRGL
Luanda - A Conferência Internacional sobre a Região dos Grandes (CIRGL) incentivou, nesta quinta-feira, o Governo da República Centro-Africana (RCA) a declarar cessar-fogo o "mais urgente possível", a fim de abrir caminho para a paz naquele país.

O encorajamento vem expresso no comunicado final da 3ª Mini-Cimeira da CIRGL sobre a situação política reinante na RCA, que a capital angolana, Luanda, acolheu hoje (quinta-feira).

No documento, os Chefes de Estado e de Governo da CIRGL consideram a declaração de cessar-fogo "um factor imprescindível para o sucesso de todo o processo e a criação de um clima propício à paz e à reconciliação nacional".

Lembram que a referida declaração decorre do compromisso assumido pelos líderes dos grupos armados na República Centro-Africana.

Na reunião, convocada pelo Presidente em exercício da CIRGL, João Lourenço, foi reafirmada a necessidade de se revitalizar o Acordo Político para Paz e Reconciliação, negociado em Cartum, no Sudão.

O mesmo acordo foi assinado a 06 de Fevereiro de 2019, em Bangui (RCA), como referência na busca de uma solução duradoura para a crise centro-africana.

Na reunião desta quinta-feira, a CIRGL encorajou a continuação das consultas com os líderes dos grupos armados, para uma renúncia total à violência e aprovou o Roteiro Conjunto para a Paz, principal instrumento para o calar das armas naquele país.

Os Chefes de Estado e de Governo aprovaram a continuação das actividades da equipa de trabalho composta pelos ministros das Relações Exteriores de Angola e dos Negócios Estrangeiros do Rwanda, em colaboração com as autoridades da África Central, a fim de se implementar o Roteiro adoptado.

De igual modo, foi aprovada a mobilização de recursos, com o apoio do Secretário Executivo da CIRGL e do Presidente da Comissão da CEEAC, de parceiros bilaterais e multilaterais para a implementação das acções previstas no Roteiro Conjunto para a Paz.

Segundo o comunicado, a reunião aprovou a definição, pelo Governo da República Centro Africana, de um Mecanismo de acompanhamento da implementação do Presidente Sassou-N’Guesso, na condição de Presidente em exercício da Comunidade Económica dos Estados da África Central (CEEAC).

Os Chefes de Estado e de Governo condenaram o recente golpe de Estado ocorrido na República da Guiné, e apoiaram a posição da Comunidade dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), da União Africana e das Nações Unidas, que exige a libertação imediata e incondicional do Professor Alpha Condé.

A 3ª Mini-Cimeira de Luanda teve como objectivo principal analisar os resultados alcançados, no âmbito da implementação das recomendações das 1ª e 2ª Mini-Cimeiras de Luanda, de 29 de Janeiro e 20 de Abril de 2021, incluindo a apresentação do Roteiro Conjunto para a Paz na República Centro-Africana.

O encorajamento vem expresso no comunicado final da 3ª Mini-Cimeira da CIRGL sobre a situação política reinante na RCA, que a capital angolana, Luanda, acolheu hoje (quinta-feira).

No documento, os Chefes de Estado e de Governo da CIRGL consideram a declaração de cessar-fogo "um factor imprescindível para o sucesso de todo o processo e a criação de um clima propício à paz e à reconciliação nacional".

Lembram que a referida declaração decorre do compromisso assumido pelos líderes dos grupos armados na República Centro-Africana.

Na reunião, convocada pelo Presidente em exercício da CIRGL, João Lourenço, foi reafirmada a necessidade de se revitalizar o Acordo Político para Paz e Reconciliação, negociado em Cartum, no Sudão.

O mesmo acordo foi assinado a 06 de Fevereiro de 2019, em Bangui (RCA), como referência na busca de uma solução duradoura para a crise centro-africana.

Na reunião desta quinta-feira, a CIRGL encorajou a continuação das consultas com os líderes dos grupos armados, para uma renúncia total à violência e aprovou o Roteiro Conjunto para a Paz, principal instrumento para o calar das armas naquele país.

Os Chefes de Estado e de Governo aprovaram a continuação das actividades da equipa de trabalho composta pelos ministros das Relações Exteriores de Angola e dos Negócios Estrangeiros do Rwanda, em colaboração com as autoridades da África Central, a fim de se implementar o Roteiro adoptado.

De igual modo, foi aprovada a mobilização de recursos, com o apoio do Secretário Executivo da CIRGL e do Presidente da Comissão da CEEAC, de parceiros bilaterais e multilaterais para a implementação das acções previstas no Roteiro Conjunto para a Paz.

Segundo o comunicado, a reunião aprovou a definição, pelo Governo da República Centro Africana, de um Mecanismo de acompanhamento da implementação do Presidente Sassou-N’Guesso, na condição de Presidente em exercício da Comunidade Económica dos Estados da África Central (CEEAC).

Os Chefes de Estado e de Governo condenaram o recente golpe de Estado ocorrido na República da Guiné, e apoiaram a posição da Comunidade dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), da União Africana e das Nações Unidas, que exige a libertação imediata e incondicional do Professor Alpha Condé.

A 3ª Mini-Cimeira de Luanda teve como objectivo principal analisar os resultados alcançados, no âmbito da implementação das recomendações das 1ª e 2ª Mini-Cimeiras de Luanda, de 29 de Janeiro e 20 de Abril de 2021, incluindo a apresentação do Roteiro Conjunto para a Paz na República Centro-Africana.