Comandante ressalta contributo dos órgãos de inteligência militar

  • Reunião metodológica dos especialistas de contra-inteligência da Região Militar Centro
Huambo - O comandante da Região Militar Centro (RMC), tenente-general Dinis Segunda Lucama, ressaltou nesta sexta-feira o contributo dos órgãos de inteligência militar na prevenção e descoberta de acções que minam o normal funcionamento das unidades castrenses.

Dinis Segunda Lucama, que falava durante a reunião metodológica de especialistas de contra-inteligência militar da RMC, sublinhou que o trabalho resultante da acção destes órgãos tem permitido redireccionar o funcionamento das unidades, bem como melhorar o dinamismo dos seus órgãos.

“Desde a sua criação, este órgão sempre desempenhou um papel de destaque no Regime de Segurança das Unidades, daí a razão de prepararem-se, na medida de corresponder os desafios actuais do Regime de Segurança, sobretudo nesta fase de pandemia da Covid-19”, referiu.

Dinis Segunda Lucama exortou, na ocasião, o efectivo a manter a defesa da integridade das unidades, primando sempre pelo redobrar da vigilância, melhoramento da organização e disciplina.

Para o comandante da RMC é fundamental elevar a prontidão combativa e agir sempre com espírito de corpo, de missão, coesão e camaradagem.

O encontro tem, entre outros objectivos, reforçar a interacção entre os especialistas dos órgãos de inteligência militar, radiografar o sector e dinamizar o trabalho operativo.

A Região Militar Centro abrange as províncias de Benguela, Bié, Cuanza Sul e Huambo (quartel-general).

Dinis Segunda Lucama, que falava durante a reunião metodológica de especialistas de contra-inteligência militar da RMC, sublinhou que o trabalho resultante da acção destes órgãos tem permitido redireccionar o funcionamento das unidades, bem como melhorar o dinamismo dos seus órgãos.

“Desde a sua criação, este órgão sempre desempenhou um papel de destaque no Regime de Segurança das Unidades, daí a razão de prepararem-se, na medida de corresponder os desafios actuais do Regime de Segurança, sobretudo nesta fase de pandemia da Covid-19”, referiu.

Dinis Segunda Lucama exortou, na ocasião, o efectivo a manter a defesa da integridade das unidades, primando sempre pelo redobrar da vigilância, melhoramento da organização e disciplina.

Para o comandante da RMC é fundamental elevar a prontidão combativa e agir sempre com espírito de corpo, de missão, coesão e camaradagem.

O encontro tem, entre outros objectivos, reforçar a interacção entre os especialistas dos órgãos de inteligência militar, radiografar o sector e dinamizar o trabalho operativo.

A Região Militar Centro abrange as províncias de Benguela, Bié, Cuanza Sul e Huambo (quartel-general).