Combate à corrupção não deve ser tarefa exclusiva do PR – Kwata Kanawa

  • Governador de Malange, Norberto dos Santos
Malanje - O primeiro secretário provincial do MPLA em Malanje, Norberto dos Santos “Kwata Kanawa”, reiterou neste sábado a necessidade do envolvimento de todos os militantes do partido na luta contra a corrupção e alertou que a tarefa não deve recair apenas no Presidente da República, João Lourenço.

Ao discursar à margem da X Assembleia Provincial Ordinária de Balanço e Renovação de Mandatos da OMA, o político disse que o combate aos males do momento que enfermam a sociedade angolana, como a corrupção, a impunidade, o nepotismo e a bajulação deve mobilizar todas as estruturas do MPLA e da sociedade civil.

Por outro lado, reconheceu as dificuldades que o país vive desde 2014, motivadas pela crise financeira mundial e que têm incidido directamente sobre as vidas das famílias, razão pela qual o partido no poder tem vindo a operar uma série de reformas administrativas, políticas e económicas, tendentes a melhoria da qualidade de vida da população.

Realçou que essas limitações económicas têm condicionado a concretização de muitos programas gizados para o período 2017-2022.

Por outro lado, Kwata Kanawa exortou a OMA a continuar a trabalhar na preservação da unidade nacional, disciplina e ética no seio da sociedade, assim como a engajar-se no combate ao analfabetismo e prestar apoio às vítimas de violência doméstica.

Sob o lema “Mulher angolana, participação, inclusão e desenvolvimento”, a X Assembleia Provincial Ordinária de Balanço e Renovação de Mandatos da OMA serviu para proceder ao balanço das acções dos últimos seis anos, discutir e aprovar o plano de actividades para o período 2021-2026 e elegeu a nova secretária provincial da organização, Ana da Purificação.

Ao discursar à margem da X Assembleia Provincial Ordinária de Balanço e Renovação de Mandatos da OMA, o político disse que o combate aos males do momento que enfermam a sociedade angolana, como a corrupção, a impunidade, o nepotismo e a bajulação deve mobilizar todas as estruturas do MPLA e da sociedade civil.

Por outro lado, reconheceu as dificuldades que o país vive desde 2014, motivadas pela crise financeira mundial e que têm incidido directamente sobre as vidas das famílias, razão pela qual o partido no poder tem vindo a operar uma série de reformas administrativas, políticas e económicas, tendentes a melhoria da qualidade de vida da população.

Realçou que essas limitações económicas têm condicionado a concretização de muitos programas gizados para o período 2017-2022.

Por outro lado, Kwata Kanawa exortou a OMA a continuar a trabalhar na preservação da unidade nacional, disciplina e ética no seio da sociedade, assim como a engajar-se no combate ao analfabetismo e prestar apoio às vítimas de violência doméstica.

Sob o lema “Mulher angolana, participação, inclusão e desenvolvimento”, a X Assembleia Provincial Ordinária de Balanço e Renovação de Mandatos da OMA serviu para proceder ao balanço das acções dos últimos seis anos, discutir e aprovar o plano de actividades para o período 2021-2026 e elegeu a nova secretária provincial da organização, Ana da Purificação.