Congresso do MPLA vai renovar 55 por cento dos membros do órgãos centrais

  • Cunene: Vice-presidente do MPLA, Luisa Damião, presidiu encontro inter-provincial da região Sul
Ondjiva – O VIII Congresso do MPLA vai promover a renovação de 55 por cento dos membros dos seus órgãos e a continuidade de 45, anunciou, neste sábado, na província do Cunene, a vice-presidente do partido, Luísa Damião.

Outra novidade, disse a responsável num encontro com os membros do Comité Municipal do MPLA no Cunhama, tem  a ver com o aumento da representatividade das mulheres nos órgãos de direcção a todos os níveis, devendo estar repartido em 50 por cento para cada género.

Quanto ao número de delegados participantes ao evento, marcado para Dezembro deste ano, haverá igualmente equilíbrio na ordem dos 50 por cento.

Segundo Luísa Damião, que cumpre uma jornada de trabalho de três dias à província do Cunene, iniciada quinta-feira, o MPLA quer também transformar o conclave num momento de profunda reflexão para fortalecer mais o partido, tornando-o mais dinâmico, democrático e moderno.

Por isso, afirmou que o congresso vai servir para afinar a estratégia com vista ao desafio das eleições gerais de 2022, que o partido está a trabalhar para vencê-las, de modo a continuar a realizar os anseios da população.

Na ocasião, Luísa Damião manifestou-se satisfeita com o trabalho político desenvolvido pelas estruturas no Cunene, uma praça forte e sempre fiel aos desígnios da organização.

Ainda assim, a responsável política encorajou os militantes a continuar a reforçar, cada vez mais, o trabalho político, no sentido de continuar a consolidar as vitórias, que só se conseguem com muito trabalho, suor e organização, sendo que “o MPLA é um partido que sempre  ensinou a trabalhar na antecipação”.

Execução do PIIM satisfaz MPLA

No último dia de trabalho da vice-presidente do MPLA no Cunene, os membros do Bureau Político desta formação dividiram-se em seis grupos que se dirigiram aos municípios do Cuanhama, Curoca, Cuvelai, Namacunde, Ombadja e Cahama, onde avaliaram a execução dos projectos inseridos no Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM).

 

Luísa Damião, que encabeçou a equipa que trabalhou no Cuanhama, visitou os complexos residenciais em construção nas comunas do Nehone, Evale e Môngua, sendo que nesta última constatou também o nível de execução do posto médico, com capacidade para 30 camas.

No geral, a vice-presidente do MPLA manifestou-se satisfeita com o nível de execução das obras, pois poderão ser entregues no tempo previsto, para satisfazer as necessidades das populações.

 No Cunene, o PIIM contempla 113 projectos, oito dos quais já foram  concluídos.

 

 

 

Outra novidade, disse a responsável num encontro com os membros do Comité Municipal do MPLA no Cunhama, tem  a ver com o aumento da representatividade das mulheres nos órgãos de direcção a todos os níveis, devendo estar repartido em 50 por cento para cada género.

Quanto ao número de delegados participantes ao evento, marcado para Dezembro deste ano, haverá igualmente equilíbrio na ordem dos 50 por cento.

Segundo Luísa Damião, que cumpre uma jornada de trabalho de três dias à província do Cunene, iniciada quinta-feira, o MPLA quer também transformar o conclave num momento de profunda reflexão para fortalecer mais o partido, tornando-o mais dinâmico, democrático e moderno.

Por isso, afirmou que o congresso vai servir para afinar a estratégia com vista ao desafio das eleições gerais de 2022, que o partido está a trabalhar para vencê-las, de modo a continuar a realizar os anseios da população.

Na ocasião, Luísa Damião manifestou-se satisfeita com o trabalho político desenvolvido pelas estruturas no Cunene, uma praça forte e sempre fiel aos desígnios da organização.

Ainda assim, a responsável política encorajou os militantes a continuar a reforçar, cada vez mais, o trabalho político, no sentido de continuar a consolidar as vitórias, que só se conseguem com muito trabalho, suor e organização, sendo que “o MPLA é um partido que sempre  ensinou a trabalhar na antecipação”.

Execução do PIIM satisfaz MPLA

No último dia de trabalho da vice-presidente do MPLA no Cunene, os membros do Bureau Político desta formação dividiram-se em seis grupos que se dirigiram aos municípios do Cuanhama, Curoca, Cuvelai, Namacunde, Ombadja e Cahama, onde avaliaram a execução dos projectos inseridos no Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM).

 

Luísa Damião, que encabeçou a equipa que trabalhou no Cuanhama, visitou os complexos residenciais em construção nas comunas do Nehone, Evale e Môngua, sendo que nesta última constatou também o nível de execução do posto médico, com capacidade para 30 camas.

No geral, a vice-presidente do MPLA manifestou-se satisfeita com o nível de execução das obras, pois poderão ser entregues no tempo previsto, para satisfazer as necessidades das populações.

 No Cunene, o PIIM contempla 113 projectos, oito dos quais já foram  concluídos.