Consulado no Porto inicia actualização do registo dos angolanos

Lisboa (Da Correspondente) - O      Consulado-Geral de Angola no Porto, Portugal, iniciou sexta-feira a actualização dos registos consulares, em processo a decorrer até Setembro do ano em curso.

Na cerimónia inaugural, em que foi feita a apresentação formal do programa, esteve presente o embaixador de Angola em Portugal, Carlos  Alberto Fonseca, o cônsul-geral em·Lisboa, Narciso do Espírito Santo, e outros diplomatas angolanos.

Dirigida pela cônsul-geral de Angola no Porto, Isabel Godinho, o acto contou também com a participação de líderes das comunidades angolanas residentes no norte de Portugal, que se comprometeram a transmitir a mensagem e a incentivar a adesão ao programa nas áreas onde residem.

Os angolanos residentes no norte de Portugal podem actualizar os dados acedendo ao site www.consulado-geralangola-porto.pt ou, presencialmente, através do preenchimento de um formulário especialmente elaborado para este efeito. 

Quem escolher a primeira opção, apenas terá que remeter o formulário para o endereço electrónico registo2021@consuladogeralangola-porto.pt.

O Consulado-Geral de Angola no Porto·pretende ter uma avaliação mais precisa sobre o número de angolanos na área sob sua jurisdição, onde e como vivem, bem como a sua estrutura social e familiar.

Com esta iniciativa, todos os angolanos residentes nessa região passam a ter a possibilidade de obter, muitos pela primeira vez, a documentação que os identifica como cidadãos angolanos na plenitude dos seus direitos constitucionais.

A cônsul-geral disse que o objectivo principal é recolher informação numérica sobre a comunidade angolana residente no norte de Portugal e criar as condições para documentar e permitir o pleno exercício  do direito à cidadania nacional.

Por sua vez,  o embaixador Carlos Alberto Fonseca sublinhou a importância da campanha de actualização dos registos consulares, mostrando-se convicto de que terá uma adesão semelhante à da emissão do Bilhete de Identidade pelas missões consulares de Angola em Portugal.

Na cerimónia inaugural, em que foi feita a apresentação formal do programa, esteve presente o embaixador de Angola em Portugal, Carlos  Alberto Fonseca, o cônsul-geral em·Lisboa, Narciso do Espírito Santo, e outros diplomatas angolanos.

Dirigida pela cônsul-geral de Angola no Porto, Isabel Godinho, o acto contou também com a participação de líderes das comunidades angolanas residentes no norte de Portugal, que se comprometeram a transmitir a mensagem e a incentivar a adesão ao programa nas áreas onde residem.

Os angolanos residentes no norte de Portugal podem actualizar os dados acedendo ao site www.consulado-geralangola-porto.pt ou, presencialmente, através do preenchimento de um formulário especialmente elaborado para este efeito. 

Quem escolher a primeira opção, apenas terá que remeter o formulário para o endereço electrónico registo2021@consuladogeralangola-porto.pt.

O Consulado-Geral de Angola no Porto·pretende ter uma avaliação mais precisa sobre o número de angolanos na área sob sua jurisdição, onde e como vivem, bem como a sua estrutura social e familiar.

Com esta iniciativa, todos os angolanos residentes nessa região passam a ter a possibilidade de obter, muitos pela primeira vez, a documentação que os identifica como cidadãos angolanos na plenitude dos seus direitos constitucionais.

A cônsul-geral disse que o objectivo principal é recolher informação numérica sobre a comunidade angolana residente no norte de Portugal e criar as condições para documentar e permitir o pleno exercício  do direito à cidadania nacional.

Por sua vez,  o embaixador Carlos Alberto Fonseca sublinhou a importância da campanha de actualização dos registos consulares, mostrando-se convicto de que terá uma adesão semelhante à da emissão do Bilhete de Identidade pelas missões consulares de Angola em Portugal.