Covid-19: Autoridades migratórias da RDC suspendem saídas voluntárias

Cabinda– As autoridades da Direcção Geral de Migração (DGM) da Região de Muanda/Boma (Congo Central) solicitaram, nesta sexta-feira, a suspensão da saída dos seus concidadãos retidos em Cabinda por conta da Covid-19.

O pedido foi feito durante um encontro entre o presidente da Comunidade dos Cidadãos da RDC em Cabinda, Ngalabué Kabuya, e as autoridades migratórias da DGM, no Yema Di Ngoio/RDC, à margem do processo da saída voluntária de 90 cidadãos.

Segundo o gabinete de comunicação institucional e imprensa da delegação do Minint, em nota enviada à Angop, Ngalabué Kabuya foi informado que se trata uma orientação da Direcção Geral de Migração da RDC que apenas autoriza a entrada e saída  de congoleses em regime de residente em Angola e angolanos nas condições previstas no decreto vigente.

O registo frequente de saída massiva de cidadãos da RDC, nos últimos meses, no posto fronteiriço do Yema, a sul de Cabinda, tem evidenciado uma determinação destes em regressar ao seu país, aproveitando o plasmado no Decreto Presidencial.

Deste o dia 26 de Agosto deste ano 873 cidadãos congoleses saíram, de forma voluntária, através da fronteira de Yema, de cabinda.

O pedido foi feito durante um encontro entre o presidente da Comunidade dos Cidadãos da RDC em Cabinda, Ngalabué Kabuya, e as autoridades migratórias da DGM, no Yema Di Ngoio/RDC, à margem do processo da saída voluntária de 90 cidadãos.

Segundo o gabinete de comunicação institucional e imprensa da delegação do Minint, em nota enviada à Angop, Ngalabué Kabuya foi informado que se trata uma orientação da Direcção Geral de Migração da RDC que apenas autoriza a entrada e saída  de congoleses em regime de residente em Angola e angolanos nas condições previstas no decreto vigente.

O registo frequente de saída massiva de cidadãos da RDC, nos últimos meses, no posto fronteiriço do Yema, a sul de Cabinda, tem evidenciado uma determinação destes em regressar ao seu país, aproveitando o plasmado no Decreto Presidencial.

Deste o dia 26 de Agosto deste ano 873 cidadãos congoleses saíram, de forma voluntária, através da fronteira de Yema, de cabinda.