Angola augura reforço da mobilidade na CPLP

  • Téte António, ministro das Relações Exteriores (Arquivo)
Luanda – O ministro das Relações Exteriores, Téte António, afirmou, esta quinta-feira, em Lisboa (Portugal), que a presidência de Angola na CPLP será marcada pelo reforço da mobilidade entre os Estados membros e uma atenção especial ao sector económico.

O chefe da diplomacia angolana encontra-se na capital portuguesa em visita de trabalho, para tratar questões ligadas à XIII Conferência de Chefes de Estado e de Governo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP, a realizar-se em Luanda, a 17 de Julho próximo.

Disse que Angola, que vai assumir a presidência rotativa da organização, sucedendo Cabo Verde, pretende dar sequência ao trabalho que levado a cabo pelas anteriores presidências, nomeadamente no que toca ao acordo sobre a mobilidade, mas também uma atenção ao sector económico.

“O mais importante da livre circulação será a sua implementação e a vontade política dos Estados, que integram a organização, em ratificar o documento, para que possa entrar efectivamente em vigor”, referiu.

Segundo Téte António, não faz sentido separar a mobilidade entre Estados da importância que tem o reforço da economia dos países que irão beneficiar da mesma.

“A presidência angolana vai fazer uma aposta no sector económico para que, juntamente com a livre circulação, sejam os principais pilares da sua actuação”, acrescentou.

Em relação à Conferência, o governante garantiu a tomada das devidas medidas pelas autoridades angolanas, no domínio da biossegurança.

A Conferência dos Chefes de Estado e de Governo dos Estados membros é o órgão máximo da CPLP, a quem compete definir e orientar a política geral e as estratégias da organização.

Cabe também a este órgão a adopção de instrumentos jurídicos necessários a implementação dos estatutos, podendo, no entanto, delegar estes poderes ao Conselho de Ministros.

De acordo com os estatutos da CPLP, a Conferência de Chefes de Estado e de Governo realiza-se, ordinariamente, a cada dois anos.

Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste são os Estados membros da CPLP, organização criada em 17 de Julho de 1996.

O chefe da diplomacia angolana encontra-se na capital portuguesa em visita de trabalho, para tratar questões ligadas à XIII Conferência de Chefes de Estado e de Governo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP, a realizar-se em Luanda, a 17 de Julho próximo.

Disse que Angola, que vai assumir a presidência rotativa da organização, sucedendo Cabo Verde, pretende dar sequência ao trabalho que levado a cabo pelas anteriores presidências, nomeadamente no que toca ao acordo sobre a mobilidade, mas também uma atenção ao sector económico.

“O mais importante da livre circulação será a sua implementação e a vontade política dos Estados, que integram a organização, em ratificar o documento, para que possa entrar efectivamente em vigor”, referiu.

Segundo Téte António, não faz sentido separar a mobilidade entre Estados da importância que tem o reforço da economia dos países que irão beneficiar da mesma.

“A presidência angolana vai fazer uma aposta no sector económico para que, juntamente com a livre circulação, sejam os principais pilares da sua actuação”, acrescentou.

Em relação à Conferência, o governante garantiu a tomada das devidas medidas pelas autoridades angolanas, no domínio da biossegurança.

A Conferência dos Chefes de Estado e de Governo dos Estados membros é o órgão máximo da CPLP, a quem compete definir e orientar a política geral e as estratégias da organização.

Cabe também a este órgão a adopção de instrumentos jurídicos necessários a implementação dos estatutos, podendo, no entanto, delegar estes poderes ao Conselho de Ministros.

De acordo com os estatutos da CPLP, a Conferência de Chefes de Estado e de Governo realiza-se, ordinariamente, a cada dois anos.

Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste são os Estados membros da CPLP, organização criada em 17 de Julho de 1996.