CASA-CE defende cooperação entre forças políticas

  • Presidente da CASA-CE, Manuel Fernandes
Ndalatando - O presidente da coligação CASA-CE, Manuel Fernandes, defendeu, esta segunda-feira, um ambiente harmonioso e de cordialidade entre as forças políticas do país, tendo em vista as eleições gerais previstas para o ano de 2022.

Em declarações à imprensa, em Ndalatando, província do Cuanza Norte, Manuel Fernandes sublinhou a importância dos angolanos evoluírem e celebrarem as próximas eleições num verdadeiro ambiente de festa.

O político fez referência à aprovação, pela Assembleia Nacional, das leis eleitorais, que inclui, entre outros documentos, às leis do Registo Eleitoral Oficioso e Orgânica das Eleições Gerais.

Os diplomas, aprovados 01 deste mês, clarificam matérias de natureza eleitoral sobre o voto, incluindo na diáspora, e a capacidade eleitoral activa.

A CASA-CE, continuou, defende que os resultados eleitorais devem ser escrutinados a nível municipal e provincial e não apenas no centro de escrutínio nacional.

No entanto, essa pretensão de Manuel Fernandes colide com a legislação em vigor no país sobre este assunto, pois a lei estabelece que o escrutínio é feito no centro nacional.

Manuel Fernandes encontra-se em Ndalatando para uma visita de dois dias, de ajuda e controlo e  constatação da dinâmica das estruturas da coligação.
 
Durante dois dias, o político deslocar-se-á aos municípios de Samba Cajú e Ambaca, devendo realizar um acto político na cidade de Ndalatando.

 O político faz-se acompanhar do vice-presidente da CASA-CE, Siconda Alexandre, do deputado Makuta Nkondo e outros membros da coligação.

Em declarações à imprensa, em Ndalatando, província do Cuanza Norte, Manuel Fernandes sublinhou a importância dos angolanos evoluírem e celebrarem as próximas eleições num verdadeiro ambiente de festa.

O político fez referência à aprovação, pela Assembleia Nacional, das leis eleitorais, que inclui, entre outros documentos, às leis do Registo Eleitoral Oficioso e Orgânica das Eleições Gerais.

Os diplomas, aprovados 01 deste mês, clarificam matérias de natureza eleitoral sobre o voto, incluindo na diáspora, e a capacidade eleitoral activa.

A CASA-CE, continuou, defende que os resultados eleitorais devem ser escrutinados a nível municipal e provincial e não apenas no centro de escrutínio nacional.

No entanto, essa pretensão de Manuel Fernandes colide com a legislação em vigor no país sobre este assunto, pois a lei estabelece que o escrutínio é feito no centro nacional.

Manuel Fernandes encontra-se em Ndalatando para uma visita de dois dias, de ajuda e controlo e  constatação da dinâmica das estruturas da coligação.
 
Durante dois dias, o político deslocar-se-á aos municípios de Samba Cajú e Ambaca, devendo realizar um acto político na cidade de Ndalatando.

 O político faz-se acompanhar do vice-presidente da CASA-CE, Siconda Alexandre, do deputado Makuta Nkondo e outros membros da coligação.