Direcção de Ilícitos Penais prepara expansão dos serviços

  • Presos
Ndalatando – O director nacional de Investigação de Ilícitos Penais, José Cunha da Piedade, anunciou, esta quinta-feira, que a instalação dos serviços deste órgão nas diferentes províncias do país será feita por fases, a curto prazo.

Em declarações à imprensa, em Ndalatando, província do Cuanza Norte, o comissário José Cunha da Piedade justificou a implantação faseada dos serviços da DIIP à sua complexidade.

"Exige, além do cumprimento da lei, uma formação especializada dos efectivos (…), infra-estruturas com condições de trabalho e meios de transportes”, especificou.

Adiantou que nas províncias de Cabinda, Luanda, Benguela, do Huambo e da Huíla os serviços do DIIP já estão em pleno funcionamento.

Quanto às outras das 18 províncias do país, disse estar em fase embrionária de instalação, com a formação dos especialistas e a criação das infra-estruturas.

A nível da província do Cuanza Norte, prosseguiu, foram já formados 71 efectivos em criminalística.

O director nacional indicou que os municípios de Cazengo (sede da província) e Golungo Alto serão os primeiros a beneficiar desses serviços.

A Direcção de Investigação de Ilícitos Penais tem como foco o reforço da capacidade da Polícia Nacional, tendo em vista prevenir e reprimir crimes, sobretudo, violentos.

Em declarações à imprensa, em Ndalatando, província do Cuanza Norte, o comissário José Cunha da Piedade justificou a implantação faseada dos serviços da DIIP à sua complexidade.

"Exige, além do cumprimento da lei, uma formação especializada dos efectivos (…), infra-estruturas com condições de trabalho e meios de transportes”, especificou.

Adiantou que nas províncias de Cabinda, Luanda, Benguela, do Huambo e da Huíla os serviços do DIIP já estão em pleno funcionamento.

Quanto às outras das 18 províncias do país, disse estar em fase embrionária de instalação, com a formação dos especialistas e a criação das infra-estruturas.

A nível da província do Cuanza Norte, prosseguiu, foram já formados 71 efectivos em criminalística.

O director nacional indicou que os municípios de Cazengo (sede da província) e Golungo Alto serão os primeiros a beneficiar desses serviços.

A Direcção de Investigação de Ilícitos Penais tem como foco o reforço da capacidade da Polícia Nacional, tendo em vista prevenir e reprimir crimes, sobretudo, violentos.