Militares rendem tributo a Neto

  • Agostinho Neto - Primeiro Presidente de Angola
Ndalatando – Efectivos da Escola de Artilharia Terrestre das Forças Armadas Angolanas (FAA) homenagearam, hoje (sexta-feira), em Ndalatando, Cuanza Norte, o primeiro presidente de Angola, António Agostinho Neto, com a realização da Fogueira do Combatente.

A actividade,  promovida pela instituição de ensino militar, teve como objectivo honrar os feitos culturais e políticos de Agostinho Neto.

O trovador Mestre Calili e o poeta VM animaram a fogueira com canções patrióticas e poemas, diante de um público reduzido, devido às medidas de prevenção da Covid-19.

O director do Gabinete Provincial do Cuanza Norte da Cultura, Turismo, Juventude e Desporto, Osvaldo Caculo, que orientou o acto, em representação do governador provincial, Adriano Mendes de Carvalho, afirmou que se deve olhar para a figura de Neto à dimensão do país, independentemente, das cores partidárias.

Augura que os jovens continuem a honrar a memória de Neto, por via da participação nas tarefas para a consolidação da democracia e defesa da soberania nacional.

Considerou que promover a paz, a estabilidade económica e social constitui, igualmente, um tributo ao primeiro Presidente de Angola.

O acto foi testemunhado por membros do Governo local, representantes de partidos políticos e foi marcado também por momentos de dança.

 

 

 

A actividade,  promovida pela instituição de ensino militar, teve como objectivo honrar os feitos culturais e políticos de Agostinho Neto.

O trovador Mestre Calili e o poeta VM animaram a fogueira com canções patrióticas e poemas, diante de um público reduzido, devido às medidas de prevenção da Covid-19.

O director do Gabinete Provincial do Cuanza Norte da Cultura, Turismo, Juventude e Desporto, Osvaldo Caculo, que orientou o acto, em representação do governador provincial, Adriano Mendes de Carvalho, afirmou que se deve olhar para a figura de Neto à dimensão do país, independentemente, das cores partidárias.

Augura que os jovens continuem a honrar a memória de Neto, por via da participação nas tarefas para a consolidação da democracia e defesa da soberania nacional.

Considerou que promover a paz, a estabilidade económica e social constitui, igualmente, um tributo ao primeiro Presidente de Angola.

O acto foi testemunhado por membros do Governo local, representantes de partidos políticos e foi marcado também por momentos de dança.