OMA quer mulheres autarcas

Ndalatando – O secretariado provincial da Organização da Mulher Angolana (OMA) no Cuanza Norte está a realizar campanhas de sensibilização para garantir a participação activa e efectiva das mulheres nas eleições autárquicas.

De acordo com a secretária municipal da OMA no Cazengo, Teresa de Castro Muhongo, a partipação feminina no processo autárquico não deve resumir-se em eleger, mas também na sua candidatura aos respectivos cargos.

Em entrevista à Angop, a propósito da Jornada Março Mulher, considerou que a mulher sempre lutou pelo equilíbrio nas relações sociais, por isso, reforçou a necessidade do seu  envolvimento no processo autárquico.

Justificou que a implementação das autarquias exige, essencialmente, a participação das mulheres, por serem a maioria em termos de números.

Teresa de Castro Muhonho apelou às militantes a falar com a população sobre a importância das autarquias e mobilizá-la para as tarefas do processo autárquico.

Disse que a OMA vai continuar a trabalhar para a emancipação e promoção da mulher, com vista a sua participação activa no desenvolvimento sócio-económico do município.

Apelou para contínua formação académica desta franja da sociedade e reiterou que o  MPLA vai continuar a garantir a participação das mulheres na vida política, económica, social e cultural, cumprindo desta forma com os estatutos e programa do partido.

De acordo com a secretária municipal da OMA no Cazengo, Teresa de Castro Muhongo, a partipação feminina no processo autárquico não deve resumir-se em eleger, mas também na sua candidatura aos respectivos cargos.

Em entrevista à Angop, a propósito da Jornada Março Mulher, considerou que a mulher sempre lutou pelo equilíbrio nas relações sociais, por isso, reforçou a necessidade do seu  envolvimento no processo autárquico.

Justificou que a implementação das autarquias exige, essencialmente, a participação das mulheres, por serem a maioria em termos de números.

Teresa de Castro Muhonho apelou às militantes a falar com a população sobre a importância das autarquias e mobilizá-la para as tarefas do processo autárquico.

Disse que a OMA vai continuar a trabalhar para a emancipação e promoção da mulher, com vista a sua participação activa no desenvolvimento sócio-económico do município.

Apelou para contínua formação académica desta franja da sociedade e reiterou que o  MPLA vai continuar a garantir a participação das mulheres na vida política, económica, social e cultural, cumprindo desta forma com os estatutos e programa do partido.