Cuito ganha infra-estrutura administrativa e autárquica

  • Bié: Governador Pereira Alfredo fala à Imprensa
  • Governador do Bié, Pereira Alfredo, faz o lançamento da primeira pedra para a construção  do edifício das autarquias
Cuito – O município do Cuito, província do Bié, vai ganhar uma infra-estrutura administrativa e autárquica, cujo acto de consignação para a sua construção aconteceu hoje, nesta cidade.

A ser construído numa área de 2,25 hectares, o edifício vai comportar um piso, com 17 departamentos e uma zona da assembleia municipal, assim como dois auditórios, com 86 e 50 lugares.  

A infra-estrutura, inserida no Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM), será erguida em três fases.  

A primeira, cujo acto de lançamento da primeira pedra aconteceu hoje, corresponde 50 por cento do total da sua edificação.

Nesta etapa inicial, a ser executada pelo consórcio Belo Empreendimentos, Soares da Costa e NOV Engenharia e Construções, serão construídos os edifícios administrativos e técnicos, incluindo a área da assembleia municipal.

Terá a duração de 18 meses, com custo de quatro mil milhões e 818 milhões de Kwanzas.

Assinaram o acto de consignação o chefe do Departamento Nacional de Divisão Administrativa e Toponímia, Roberto Sampaio, em representação do Ministério da Administração do Território, e Eleocádio Camuto, pela empresa Belo Empreendimentos.  

As outras duas fases, que comportam a construção das direcções municipais, têm previsão de inicio tão logo terminem as obras desta primeira etapa.

Além deste edifício, o governador provincial, Pereira Alfredo, que fez o lançamento da primeira pedra, anunciou que na província do Bié serão erguidas, numa primeira fase, mais quatro infra-estruturas de apoio administrativo e autárquico, nos municípios do Chitembo, Catabola, Cunhinga e Cuemba.    

Apelou às empresas construtoras no sentido de empregarem também jovens bienos nesta empreitada.

Já o administrador do Cuito, Abel Guerra Paulo, referiu que este acto representa a prova inequívoca da aposta do Governo Angolano, liderado pelo Presidente João Lourenço, de implementar as eleições autárquicas no país, em cumprimento de um pressuposto constitucional, virado para a governação local.

Benguela foi a província onde foi lançada a primeira pedra para construção de uma infra-estrutura do género, em Outubro de 2020, seguindo-se Luanda e Lunda Sul onde também já estão em execução obras do gênero.

A ser construído numa área de 2,25 hectares, o edifício vai comportar um piso, com 17 departamentos e uma zona da assembleia municipal, assim como dois auditórios, com 86 e 50 lugares.  

A infra-estrutura, inserida no Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM), será erguida em três fases.  

A primeira, cujo acto de lançamento da primeira pedra aconteceu hoje, corresponde 50 por cento do total da sua edificação.

Nesta etapa inicial, a ser executada pelo consórcio Belo Empreendimentos, Soares da Costa e NOV Engenharia e Construções, serão construídos os edifícios administrativos e técnicos, incluindo a área da assembleia municipal.

Terá a duração de 18 meses, com custo de quatro mil milhões e 818 milhões de Kwanzas.

Assinaram o acto de consignação o chefe do Departamento Nacional de Divisão Administrativa e Toponímia, Roberto Sampaio, em representação do Ministério da Administração do Território, e Eleocádio Camuto, pela empresa Belo Empreendimentos.  

As outras duas fases, que comportam a construção das direcções municipais, têm previsão de inicio tão logo terminem as obras desta primeira etapa.

Além deste edifício, o governador provincial, Pereira Alfredo, que fez o lançamento da primeira pedra, anunciou que na província do Bié serão erguidas, numa primeira fase, mais quatro infra-estruturas de apoio administrativo e autárquico, nos municípios do Chitembo, Catabola, Cunhinga e Cuemba.    

Apelou às empresas construtoras no sentido de empregarem também jovens bienos nesta empreitada.

Já o administrador do Cuito, Abel Guerra Paulo, referiu que este acto representa a prova inequívoca da aposta do Governo Angolano, liderado pelo Presidente João Lourenço, de implementar as eleições autárquicas no país, em cumprimento de um pressuposto constitucional, virado para a governação local.

Benguela foi a província onde foi lançada a primeira pedra para construção de uma infra-estrutura do género, em Outubro de 2020, seguindo-se Luanda e Lunda Sul onde também já estão em execução obras do gênero.