David Mendes deixa grupo parlamentar da UNITA

  • Deputado David Mendes
Luanda - O deputado independente David Mendes formaliza, nesta terça-feira (03/11), a sua saída do Grupo Parlamentar da UNITA, que representa desde 2017.

O também advogado, que anunciou o facto no último domingo, no espaço de análise da TV Zimbo, justificou a decisão com uma suposta falta de solidariedade do partido às ameaças de morte de que foi alvo.

Na semana finda, David Mendes foi ofendido moralmente e ameaçado de morte por um grupo de jovens, nas redes sociais, por criticar o envolvimento da UNITA na tentativa de manifestação do dia 24 de Outubro.

Os jovens revoltaram-se contra o deputado, por ter reprovado/condenado a participação de alguns membros da UNITA na manifestação organizada pela sociedade civil, em Luanda.

"Na próxima terça-feira vou formalizar a minha saída da bancada parlamentar da UNITA, por não compartilhar com pessoas que não têm tolerância e aplaudem ameaças de morte, sem solidarizar-se com a vítima", afirmou, na altura.   

Sublinhou que a sua vida "não tem preço e nem a sua família está disposta a perder alguém por um partido que acha que quem tem opinião diferente deve ser eliminado fisicamente".

Segundo David Mendes, alguns membros e deputados da UNITA manifestaram a sua solidariedade, em particular o ex-presidente deste partido, Isaías Samakuva, mas faltou a acção solidária e oficializada pela direcção do segundo maior partido do país.

"Por uma questão de respeito ao antigo presidente da UNITA, Isaías Samakuva, por ser a pessoa que me convidou para integrar este partido, hoje fui ao encontro dele para comunicar a minha saída deste grupo parlamentar", disse.

David Mendes, advogado de profissão, é presidente do Partido Popular (PP) e concorreu como independente, pela UNITA, nas Eleições Gerais de 2017.

O também advogado, que anunciou o facto no último domingo, no espaço de análise da TV Zimbo, justificou a decisão com uma suposta falta de solidariedade do partido às ameaças de morte de que foi alvo.

Na semana finda, David Mendes foi ofendido moralmente e ameaçado de morte por um grupo de jovens, nas redes sociais, por criticar o envolvimento da UNITA na tentativa de manifestação do dia 24 de Outubro.

Os jovens revoltaram-se contra o deputado, por ter reprovado/condenado a participação de alguns membros da UNITA na manifestação organizada pela sociedade civil, em Luanda.

"Na próxima terça-feira vou formalizar a minha saída da bancada parlamentar da UNITA, por não compartilhar com pessoas que não têm tolerância e aplaudem ameaças de morte, sem solidarizar-se com a vítima", afirmou, na altura.   

Sublinhou que a sua vida "não tem preço e nem a sua família está disposta a perder alguém por um partido que acha que quem tem opinião diferente deve ser eliminado fisicamente".

Segundo David Mendes, alguns membros e deputados da UNITA manifestaram a sua solidariedade, em particular o ex-presidente deste partido, Isaías Samakuva, mas faltou a acção solidária e oficializada pela direcção do segundo maior partido do país.

"Por uma questão de respeito ao antigo presidente da UNITA, Isaías Samakuva, por ser a pessoa que me convidou para integrar este partido, hoje fui ao encontro dele para comunicar a minha saída deste grupo parlamentar", disse.

David Mendes, advogado de profissão, é presidente do Partido Popular (PP) e concorreu como independente, pela UNITA, nas Eleições Gerais de 2017.