Espanha privilegia Angola para internacionalizar economia

  • Presidente da República, João Lourenço
Luanda - O Chefe de Estado angolano, João Lourenço, manifestou, esta quinta-feira, satisfação pelo facto do Reino de Espanha ter escolhido Angola como um dos primeiros países para a internacionalização da sua economia.

"Satisfaz-nos o facto de saber que, no quadro da política de internacionalização da sua economia, a Espanha escolheu Angola como um dos primeiros para a implementação dessa sua estratégia de internacionalização da economia espanhola", expressou.

O Estadista angolano falava à imprensa, no final das conversações oficiais entre as delegações dos dois Estados, no quadro da visita oficial a Angola do Presidente do Governo de Espanha, Pedro Sánchez Pérez Castejón.

Considerou acertada a decisão do Reino de Espanha ante a uma crise mundial não apenas no domínio sanitário, mas sobretudo no domínio da economia da maior parte dos países do mundo.

Lembrou que o continente africano tem enormes recursos naturais mal aproveitados.

Entende que esse passo e a escolha de Angola, em particular, afigura-se benéfica não apenas para a Reino da Espanha mas também para o país, "sobretudo pelo facto de passarmos a ter um mercado que transborda as fronteiras de Angola, numa altura que foi criada e entrou em funcionamento a Zona de Comércio Continental Africana".

Disse, a propósito, haver um comércio de milhões de consumidores em todo continente que podem absorver os bens que vierem a ser produzidos em Angola, como resultado da parceria entre os dois Estados e entre empresários espanhóis e angolanos.

Segundo o Presidente João Lourenço, a intenção é que os produtos que vierem a ser produzidos no país (no ramo da agricultora, pescas e da indústria) sejam transformados localmente para se acrescentar valores e saírem com a marca made in Angola.

Adiantou que tais produtos seriam vendidos no mercado internacional a um preço superior ao qual seria arrecadado.

A seu ver, tal iniciativa é um grande contributo que a Espanha dá à grande vontade que Angola tem de dar o passo qualitativo para a industrialização.

"Portanto, mais uma vez Sr. Presidente, muito obrigado pela sua visão, muito obrigado por ter feito esta aposta em Angola e estamos certos que ambos países sairão a ganhar", assinalou.

Convite para visitar o Reino de Espanha

O Chefe do Governo de Espanha convidou, na ocasião, o Presidente João Lourenço, a visitar o Reino de Espanha em data a acordar por canais diplomáticos, tendo em resposta o Estadista angolano aceite o convite.

No final das conversações oficiais, o Presidente do Governo de Espanha, Pedro Sánchez Pérez Castejón, reafirmou a importância de Angola na estratégia do seu país para África, aprovada em 2019 e designado Foco-África 2023.

Pedro Sánchez manifestou satisafação pelo facto de Angola considerar a Espanha um dos parceiros preferenciais na sua estratégia de diversificação económica.

"Acho isso bom para o país, porque o torna independente do petróleo", expressou, sublinhando a experiência internacional das empresas do seu país nos sectores das infraestruturas e o contributo que podem prestar no crescimento económico de Angola.
 

  •  
  •  
  •  
  •  


"Satisfaz-nos o facto de saber que, no quadro da política de internacionalização da sua economia, a Espanha escolheu Angola como um dos primeiros para a implementação dessa sua estratégia de internacionalização da economia espanhola", expressou.

O Estadista angolano falava à imprensa, no final das conversações oficiais entre as delegações dos dois Estados, no quadro da visita oficial a Angola do Presidente do Governo de Espanha, Pedro Sánchez Pérez Castejón.

Considerou acertada a decisão do Reino de Espanha ante a uma crise mundial não apenas no domínio sanitário, mas sobretudo no domínio da economia da maior parte dos países do mundo.

Lembrou que o continente africano tem enormes recursos naturais mal aproveitados.

Entende que esse passo e a escolha de Angola, em particular, afigura-se benéfica não apenas para a Reino da Espanha mas também para o país, "sobretudo pelo facto de passarmos a ter um mercado que transborda as fronteiras de Angola, numa altura que foi criada e entrou em funcionamento a Zona de Comércio Continental Africana".

Disse, a propósito, haver um comércio de milhões de consumidores em todo continente que podem absorver os bens que vierem a ser produzidos em Angola, como resultado da parceria entre os dois Estados e entre empresários espanhóis e angolanos.

Segundo o Presidente João Lourenço, a intenção é que os produtos que vierem a ser produzidos no país (no ramo da agricultora, pescas e da indústria) sejam transformados localmente para se acrescentar valores e saírem com a marca made in Angola.

Adiantou que tais produtos seriam vendidos no mercado internacional a um preço superior ao qual seria arrecadado.

A seu ver, tal iniciativa é um grande contributo que a Espanha dá à grande vontade que Angola tem de dar o passo qualitativo para a industrialização.

"Portanto, mais uma vez Sr. Presidente, muito obrigado pela sua visão, muito obrigado por ter feito esta aposta em Angola e estamos certos que ambos países sairão a ganhar", assinalou.

Convite para visitar o Reino de Espanha

O Chefe do Governo de Espanha convidou, na ocasião, o Presidente João Lourenço, a visitar o Reino de Espanha em data a acordar por canais diplomáticos, tendo em resposta o Estadista angolano aceite o convite.

No final das conversações oficiais, o Presidente do Governo de Espanha, Pedro Sánchez Pérez Castejón, reafirmou a importância de Angola na estratégia do seu país para África, aprovada em 2019 e designado Foco-África 2023.

Pedro Sánchez manifestou satisafação pelo facto de Angola considerar a Espanha um dos parceiros preferenciais na sua estratégia de diversificação económica.

"Acho isso bom para o país, porque o torna independente do petróleo", expressou, sublinhando a experiência internacional das empresas do seu país nos sectores das infraestruturas e o contributo que podem prestar no crescimento económico de Angola.
 

  •  
  •  
  •  
  •