Presidente da RCA regressa ao seu país

  • Presidente da República, João Lourenço (à dir.), e o seu homólogo da RCA,  Faustin-Archange Touadéra
Luanda - O Presidente da República Centro Africana, Faustin Touadéra, deixou esta quinta-feira Luanda, depois de um encontro oficial de trabalho com o seu homólogo angolano, João Lourenço.

Faustin Touadéra, que esteve durante algumas horas na capital angolana, não prestou declarações à imprensa no final da sua visita.

No encontro com o Chefe de Estado angolano e Presidente em exercício da Conferência Internacional sobre a Região dos Grandes Lagos (CIRGL), foram analisadas a situação de paz, segurança e estabilidade política na República Centro-Africana.

Na última sexta-feira (15), o Presidente Faustin Touadéra anunciou um cessar-fogo unilateral, por parte do exército, no conflito com grupos rebeldes.

À excepção de duas importantes organizações, outros grupos rebeldes aceitaram a trégua decretada pelo exército, que resulta dos esforços empreendidos pela CIRGL.

O Chefe de Estado angolano tem sido informado regularmente pelo homólogo da RCA sobre a situação naquele país, que vive um longo conflito político-militar.

Na sequência do anúncio do cessar-fogo, o Presidente João Lourenço, em nome da CIRGL, saudou o povo centro-africano e considerou a decisão um reconhecimento de que o diálogo entre as forças vivas é a melhor via para o alcance da paz e estabilidade. 

A CIRGL foi criada com o objectivo de resolver questões de paz e segurança, após os conflitos políticos que assolaram a região, em 1994.

Os países membros CIRGL são Angola, Burundi, Congo, República Democrática do Congo, República Centro-Africana, Rwanda, Sudão, Sudão do Sul, República Unida da Tanzânia, Uganda e Zâmbia.

Faustin Touadéra, que esteve durante algumas horas na capital angolana, não prestou declarações à imprensa no final da sua visita.

No encontro com o Chefe de Estado angolano e Presidente em exercício da Conferência Internacional sobre a Região dos Grandes Lagos (CIRGL), foram analisadas a situação de paz, segurança e estabilidade política na República Centro-Africana.

Na última sexta-feira (15), o Presidente Faustin Touadéra anunciou um cessar-fogo unilateral, por parte do exército, no conflito com grupos rebeldes.

À excepção de duas importantes organizações, outros grupos rebeldes aceitaram a trégua decretada pelo exército, que resulta dos esforços empreendidos pela CIRGL.

O Chefe de Estado angolano tem sido informado regularmente pelo homólogo da RCA sobre a situação naquele país, que vive um longo conflito político-militar.

Na sequência do anúncio do cessar-fogo, o Presidente João Lourenço, em nome da CIRGL, saudou o povo centro-africano e considerou a decisão um reconhecimento de que o diálogo entre as forças vivas é a melhor via para o alcance da paz e estabilidade. 

A CIRGL foi criada com o objectivo de resolver questões de paz e segurança, após os conflitos políticos que assolaram a região, em 1994.

Os países membros CIRGL são Angola, Burundi, Congo, República Democrática do Congo, República Centro-Africana, Rwanda, Sudão, Sudão do Sul, República Unida da Tanzânia, Uganda e Zâmbia.